Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

13/05/2013

Exame de sangue poderá detectar Alzheimer com anos de antecedência

Redação do Diário da Saúde
Exame de sangue poderá detectar Alzheimer com anos de antecedência
Há muito tempo consideradas vilãs da doença, as placas de beta-amiloide podem na verdade ser uma defesa do cérebro contra o Mal de Alzheimer.[Imagem: CSIRO]

Cientistas australianos estão mais perto de desenvolver um exame preventivo para a detecção do Mal de Alzheimer.

Eles identificaram marcadores biológicos no sangue que são associados com a acumulação de uma proteína no cérebro que ocorre anos antes de os sintomas do Alzheimer aparecerem e ocorrerem danos cerebrais irreversíveis.

Os biomarcadores indicam a presença no cérebro das proteínas chamadas beta-amiloides.

Embora haja uma grande controvérsia sobre se as beta-amiloides são causa do Alzheimer ou defesa do cérebro contra a doença, o fato é que detectá-lo mais cedo pode indicar a iminência do desenvolvimento do Alzheimer - seja para causá-lo, seja porque o cérebro já está começando a se defender.

"A detecção precoce é fundamental se quisermos fazer alguma diferença real na luta contra a doença de Alzheimer, dando às pessoas em risco uma chance muito maior de receber o tratamento mais cedo, antes que seja tarde demais para fazer alguma coisa," disse Samantha Burnham, do instituto de pesquisas CSIRO.

Exame para detectar Alzheimer

Samantha e seus colegas identificaram nove biomarcadores que se correlacionam com a identificação do acúmulo de beta-amiloide no cérebro feita com imagens geradas por tomografia de emissão de pósitrons (PET).

"Um estudo recente mostrou que os níveis de beta amiloide tornam-se anormais cerca de 17 anos antes do aparecimento dos sintomas de demência. Isso nos dá muito mais tempo para intervir para tentar retardar a progressão da doença, se formos capazes de detectar os casos mais cedo," disse o Dr. Noel Faux, coautor do estudo.

"Esperamos que a continuação da nossa pesquisa leve ao desenvolvimento de um exame de rastreamento de baixo custo e minimamente invasivo para a doença de Alzheimer.

"Um exame de sangue seria o estágio inicial ideal para ajudar a identificar muito mais pessoas em situação de risco, antes que um diagnóstico seja confirmado com testes cognitivos e de imagem PET ou líquido cefalorraquidiano (LCR)," concluiu a Dra. Samantha.


Ver mais notícias sobre os temas:

Neurociências

Cérebro

Memória

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Ciência começa a entender eficácia da Medicina Chinesa contra o câncer

O que é melhor: Meditação ou Férias?

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão