Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

21/03/2016

Exoesqueleto aprovado para uso clínico e pessoal

Site Inovação Tecnológica
FDA aprova exoesqueleto para uso clínico e pessoal
O exoesqueleto chegará ao mercado com um preço inexplicavelmente elevado. [Imagem: Parker Hannifin/Divulgação]

Exoesqueleto aprovado

A agência FDA dos EUA (Food and Drug Administration) deu autorização para comercialização de um exoesqueleto para os membros inferiores tanto para uso clínico, como pessoal.

A aprovação já era esperada depois que o equipamento recebeu aprovação das autoridades europeias, em Novembro passado.

"É particularmente gratificante porque é a primeira coisa que sai do meu laboratório para se tornar um produto que as pessoas podem comprar, o que espero venha a trazer uma melhoria significativa em sua qualidade de vida," comemorou o professor Michael Goldfarb, da Universidade Vanderbilt, responsável pelo desenvolvimento do equipamento.

Robôs de vestir

O exoesqueleto, que permite que pessoas paralisadas da cintura para baixo levantem-se e caminhem, é resultado de um esforço intensivo de pesquisa e desenvolvimento ao longo de 10 anos.

O aparelho funciona como um esqueleto externo, preso por cintas em torno do torso. Suportes rígidos são amarrados às pernas, estendendo-se do quadril até o joelho e do joelho até o pé. As articulações do quadril e joelho são movidas por motores elétricos alimentados por baterias recarregáveis.

Até recentemente, "robôs de vestir" eram coisa de ficção científica. Nos últimos 15 anos, porém, avanços nas tecnologias de robótica, microeletrônica, baterias e motores elétricos ajudaram a torná-los práticos.

Quanto?

O foco principal do equipamento são pessoas com danos causados por acidente vascular cerebral ou acidentes que tenham afetado a medula espinhal. No futuro, espera-se que versões mais leves possam ajudar pessoas idosas que tenham problemas de locomoção.

Os pacientes que testaram o aparelho ainda precisaram de andadores ou muletas de antebraço para manter o equilíbrio.

O exoesqueleto será comercializado com o nome de Indego® pela empresa Parker Hannifin. O preço inicial é de US$80.000 no mercado norte-americano, onde se pode comprar um carro médio com todo o conforto e tecnologia por cerca de US$20.000.

Fonte: Exoesqueleto aprovado para uso clínico e pessoal


Ver mais notícias sobre os temas:

Robótica

Próteses

Softwares

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão

Carne vermelha todo dia faz mal? Especificamente que mal?