Fantasias sexuais: Você é normal?

Em busca do que é estranho

Fantasias sexuais são comuns tanto entre os homens, quanto entre as mulheres, embora existam algumas fantasias mais raras.

Este é apenas um dos resultados de um projeto de pesquisa realizado na Universidade de Montreal (Canadá) que está tentando "definir cientificamente" o que pode ser considerado uma fantasia sexual anormal.

Embora muitas teorias sobre fantasias sexuais depravadas incorporem o conceito de fantasias atípicas (parafilias), a literatura científica não descreve o que realmente são esses tipos de fantasias.

"Clinicamente, nós sabemos o que são fantasias sexuais patológicas: elas envolvem parceiros não-consensuais, induzem dor ou são absolutamente necessárias para gerar satisfação. Mas, além disso, o que são exatamente fantasias anormais ou atípicas? Para descobrir isso, perguntamos à população em geral, simples assim," disse Christian Joyal, principal autor do estudo.

"Nosso principal objetivo é o de especificar padrões nas fantasias sexuais, um passo essencial na definição de patologias," observou. "E como nós suspeitávamos, há muito mais fantasias comuns do que fantasias atípicas."

Fantasias sexuais normais

As respostas da pesquisa mostraram que a natureza das fantasias sexuais é muito variada, mas bastante compartilhada pela população geral. Poucas fantasias podem ser consideradas estatisticamente raras e incomuns.

O estudo confirma que os homens têm mais fantasias e as descrevem de forma mais vívida do que as mulheres. O estudo também revela que uma proporção significativa das mulheres (30% a 60%) evoca temas associados com a submissão (por exemplo, ser amarrada, espancada e forçada a ter relações sexuais).

No entanto, ao contrário dos homens, as mulheres geralmente fazem uma clara distinção entre fantasia e desejo.

Assim, muitas mulheres que expressam fantasias mais extremas de submissão (por exemplo, de serem dominadas por um estranho) especificam que nunca gostariam que essas fantasias se tornassem realidade. A maioria dos homens, no entanto, adoraria que suas fantasias se tornassem realidade (por exemplo, sexo a três).

Como esperado, a presença de um "outro significativo" é consideravelmente mais forte nas fantasias femininas do que nas fantasias masculinas. Em geral, os homens casados fantasiam mais sobre relacionamentos extraconjugais, em comparação com as mulheres.

Fantasias masculinas e fantasias femininas

"Uma das descobertas mais intrigantes tem a ver com o número significativo de fantasias exclusivas do sexo masculino, por exemplo, relações com travestis, sexo anal entre heterossexuais e a ideia de ver sua parceira fazendo sexo com outro homem. Teorias biológicas evolucionistas não podem explicar essas fantasias que, entre machos, são tipicamente desejos.

"Nós estamos agora fazendo análises estatísticas com os mesmos dados para demonstrar a existência de subgrupos homogêneos de indivíduos com base em combinações de fantasias. Por exemplo, pessoas que têm fantasias de submissão também frequentemente relatam fantasias de dominação. Estes dois temas não são, portanto, exclusivos, muito pelo contrário. Eles também parecem associados a um maior nível de satisfação," disse Joyal.

Em sua busca de patologias, os pesquisadores até agora identificaram que são muito raras fantasias com crianças e animais, tendo sido identificadas também o que eles chamam de "fantasias incomuns", envolvendo usar roupas típicas do outro sexo, fazer sexo com prostitutas ou abusar de pessoas drogadas.

Assim, parece que, no tocante às fantasias sexuais, a larga maioria da população é normal.


Ver mais notícias sobre os temas:

Sexualidade

Sentimentos

Relacionamentos

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.