Homens e mulheres têm fantasias sexuais semelhantes

Erotismo

Um estudo realizado na Universidade de Granada, na Espanha, demonstrou que não há diferenças significativas entre as fantasias sexuais dos homens e das mulheres.

Tanto homens como mulheres têm fantasias íntimas ou românticas envolvendo seu parceiro, embora os homens fantasiem com mais frequência do que as mulheres.

Além disso, os homens têm mais fantasias sexuais (tanto positivas quanto negativas) do que as mulheres, o que confirmaria a crença de que os homens pensam sobre sexo com mais frequência do que as mulheres.

Para realizar este estudo, os pesquisadores entrevistaram 2.250 pessoas (49,6% homens e 50,4% mulheres) com idades entre 18 e 73 anos, que mantinham um relacionamento heterossexual há pelo menos 6 meses.

Os resultados sugerem que perto de 100% dos homens e mulheres experimentaram uma fantasia sexual agradável em sua vida, enquanto cerca de 80% dos entrevistados experimentaram uma fantasia negativa ou desagradável sexual alguma vez na vida.

Fantasias masculinas e femininas

No entanto, homens e mulheres não fantasiam com a mesma frequência.

Especificamente, o estudo mostrou que as mulheres têm fantasias românticas agradáveis com mais frequência do que os homens - algumas vezes por mês, segundo suas respostas aos questionários.

Os homens, porém, fantasiam com mais frequência sobre atividades sexuais "exploratórias", como sexo em grupo, e buscam novas sensações, como "ser promíscuo", "ser um swinger" e "participar de uma orgia".

As fantasias sexuais consideradas desagradáveis são aquelas associadas com a submissão sexual.

As mulheres pensam com mais frequência do que os homens em "ser forçada a ter relações sexuais" - elas fantasiam sobre isso "pelo menos uma vez na vida".

No entanto, as fantasias negativas mais frequentes entre os homens estão associadas com o sexo homossexual.

Importância das fantasias sexuais

Nieves Moyano Muñoz e Juan Carlos Sierra Freire, da Universidade de Granada, afirmam que estudos como esse têm a intenção de elucidar se fantasias sexuais negativas ou desagradáveis são disfuncionais ou não para o desenvolvimento de variados comportamentos sexuais.

Os pesquisadores salientam que ter fantasias sexuais "favorece alguns aspectos, como o desejo sexual e a excitação".

Em termos terapêuticos, eles acreditam que não é apenas a presença ou ausência de fantasias sexuais que devem ser consideradas, mas também a atitude do paciente em relação a elas.


Ver mais notícias sobre os temas:

Sexualidade

Emoções

Relacionamentos

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.