Fármaco em testes para combater o câncer acelera a doença

Preocupação

Uma molécula que está em testes para se tornar um medicamento para combater vários tipos de câncer, na verdade ajuda tumores fatais da tireoide a crescer ainda mais rapidamente.

E, o que é pior, novos medicamentos contra o câncer que estão atualmente sendo testadas em humanos, podem impulsionar a atividade dessa recém-descoberta parceira que se transformou repentinamente em vilã.

"O resultado foi exatamente o oposto do que esperávamos," conta o Dr. John Copland, da Clínica Mayo (EUA). "Ficamos mais do que surpresos. Ficamos preocupados."

As descobertas acabam de ser publicadas na edição online do Journal of Cell Science.

Remédio que piora

Os cientistas descobriram que, no caso do câncer anaplásico da tireoide, o fator de transcrição Forkhead (FOXO3a) não é o prestimoso supressor de tumores que todos pensavam que fosse.

Em vez disso, ele é um promotor letal de crescimento do tumor.

Quando o FOXO3a era paralisado, em modelos de laboratório, as células tumorais cresciam vagarosamente. Mas quando ele era ativado, elas cresciam muito mais rapidamente.

O FOXO3a é conhecido como um supressor do crescimento de tumores porque ele responde a todas as formas de estresse das células, incluindo o que é produzido em casos de câncer - o fator então ativa genes dentro do núcleo que provocam a morte da célula.

Sabe-se que o câncer, por sua vez, desativa o FOXO3a ao mandá-lo para fora do núcleo e para dentro do citoplasma da célula, onde ele é degradado. A molécula que leva o FOXO3a para fora do núcleo é a Akt, que tenta manter vivas as células do câncer.

Do bem para o mal

A equipe de pesquisa usou um bloqueador da Akt - similar aos que estão sendo usados agora em estudo clínicos de novos medicamentos para o câncer - esperando aumentar o FOXO3a nuclear e suprimir o crescimento do câncer.

O estudo mostrou que, com o uso de um inibidor da Akt, o FOXO3a permaneceu no núcleo. Mas, em vez de ajudar a matar as células cancerosas, o FOXO3a estava ajudando a acelerar o crescimento delas.

Isso traz preocupações quanto o uso de inibidores da Akt, visto que um dos mecanismos de combate ao câncer é forçar o FOXO3a a permanecer ativo no núcleo.

"Descobrimos que há um comutador biológico que converte o FOXO3a do lado do bem para o lado do mal, mas ainda não sabemos o que é ou em que tipos de câncer isso pode acontecer," disse Laura Marlow, coautora do estudo.

"Pesquisadores do câncer, incluindo os que estão testando inibidores da Akt, deveriam saber que o FOXO3a tem uma atividade pró-câncer, ao mesmo tempo que tem propriedades anticâncer", diz John Copland. "Deve existir a preocupação de que um inibidor da Akt irá melhorar a retenção do FOXO3a no núcleo, fazendo com que o FOXO3a permaneça ativo".

Câncer anaplásico da tireoide

A equipe estava tentando encontrar um tratamento para um dos tipos de câncer mais fatais que se conhece - o câncer anaplásico da tireoide.

Ele responde por apenas 2% dos casos de câncer de tireoide, mas é responsável por cerca de 40% das mortes causadas por esse tipo específico da doença.

"O problema que estamos atacando é a inexistência de um tratamento eficaz para esse tipo de câncer. Esses tumores são muito agressivos porque são muitas as anormalidades genéticas", diz o coautor do estudo, Robert Smallridge. "Estamos estudando o que promove esse câncer e como ele pode ser tratado."


Ver mais notícias sobre os temas:

Desenvolvimento de Medicamentos

Câncer

Medicamentos

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.