Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

26/11/2015

Governo atualiza dados sobre casos de microcefalia

Com informações do Ministério da Saúde

Microcefalia no Brasil

Até 21 de novembro de 2015, foram notificados 739 casos suspeitos de microcefalia, identificados em 160 municípios de nove estados do Brasil, de acordo com o último informe epidemiológico sobre microcefalia, divulgado pelo Ministério da Saúde.

O governo afirma continuar realizando todos os esforços para monitorar e investigar, de forma prioritária, o aumento do número de casos de microcefalia no país.

O estado de Pernambuco mantem-se com o maior número de casos (487), sendo o primeiro a identificar aumento de microcefalia em sua região e que conta com o acompanhamento de equipe do Ministério da Saúde desde o dia 22 de outubro.

Em seguida, estão os estados de Paraíba (96), Sergipe (54), Rio Grande do Norte (47), Piauí (27), Alagoas (10), Ceará (9), Bahia (8) e Goiás (01).

Entre o total de casos, foi notificado um óbito suspeito no estado do Rio Grande do Norte. Este caso está em investigação para definir a causa da morte.

Grupo Estratégico Interministerial de Emergência

Para unir esforços contra a doença e o pernilongo Aedes aegypti, responsável por transmitir dengue, chikungunya e zika, e dar maior agilidade às investigações, o Ministério da Saúde acionou o Grupo Estratégico Interministerial de Emergência em saúde Pública de Importância Nacional e Internacional (GEI-ESPII).

O grupo, que reúne 19 órgãos e entidades, tem como objetivo acompanhar e propor medidas de emergência em saúde pública. O mecanismo é utilizado em casos de emergências que necessitem o emprego urgente de medidas de prevenção, controle e contenção de riscos, danos e agravos à saúde pública.

A investigação dos casos está sendo realizada pelo Ministério da Saúde de forma integrada com as secretarias estaduais e municipais de saúde, com o apoio de instituições nacionais e internacionais. Comitês de especialistas apoiarão o Ministério da Saúde nas análises epidemiológicas e laboratoriais, bem como no acompanhamento dos casos.

Microcefalia e zika

Ainda não é possível ter certeza sobre a causa para o aumento de microcefalia que tem sido registrado nos nove estados. Todas as hipóteses estão sendo analisadas pelo Ministério da Saúde, que afirma que qualquer conclusão neste momento é precipitada.

As análises não foram finalizadas e, portanto, continuam em andamento.

Nesta semana, a neuropediatra que fez as primeiras notificações dos casos de microcefalia em Pernambuco aventou a possibilidade de se tratar de uma nova doença.

Orientações às gestantes

Segundo o Ministério da Saúde, é importante que as gestantes mantenham o acompanhamento e as consultas de pré-natal, com a realização de todos os exames recomendados pelo médico.

O Ministério da Saúde reforça ainda a orientação de não consumirem bebidas alcoólicas ou qualquer outro tipo de drogas, não utilizar medicamentos sem orientação médica e evitar contato com pessoas com febre ou infecções.

É importante também que as gestantes adotem medidas que possam reduzir a presença de mosquitos transmissores de doença, com a eliminação de criadouros, e proteger-se da exposição de mosquitos, como manter portas e janelas fechadas ou teladas, usar calça e camisa de manga comprida e utilizar repelentes permitidos para gestantes.


Ver mais notícias sobre os temas:

Saúde Pública

Gravidez

Vírus

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Ciência começa a entender eficácia da Medicina Chinesa contra o câncer

O que é melhor: Meditação ou Férias?

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão