Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

16/04/2014

Gratidão reduz impaciência

Com informações do Jornal da Unicamp

Pessoas levadas a relembrar situações onde sentiram gratidão apresentaram um grau de paciência muito mais elevado em eventos posteriores.

Depois de "reviver" a gratidão, essas pessoas foram capazes de aguardar longos períodos - de até três meses - para receber um pagamento, abrindo mão de valores menores que seriam pagos de imediato.

Gratidão e paciência

O estudo foi realizado dividindo um grupo de voluntários em três turmas e pedindo aos membros de cada turma que escrevessem sobre experiências que os haviam deixado felizes (grupo 1), experiências que os haviam deixado gratos (grupo 2) ou experiências que não os haviam afetado (grupo 3).

Depois, eles tiveram a opção de receber uma pequena recompensa imediata, de cerca de US$ 50, ou esperar até três meses por um pagamento maior, de US$ 85.

Os membros das turmas "feliz" e "neutra" revelaram forte preferência pelo pagamento imediato.

Já os da turma "grata" mostraram-se dispostos a esperar mais pela quantia maior, exigindo um pagamento imediato de US$ 63 para abrir mão dos US$ 85 prometidos para o fim do trimestre.

"Felizes" e "neutros", por sua vez, revelaram-se dispostos a abrir mão dos US$ 85 futuros em troca de apenas US$ 55 na hora.

O estudo foi feito por pesquisadores da Universidade Northwestern (EUA) e publicados na revista científica Psychological Science.

Vários estudos já demonstraram a grande influência do sentimento de gratidão sobre vários aspectos da felicidade e do bem-estar:


Ver mais notícias sobre os temas:

Sentimentos

Relacionamentos

Espiritualidade

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Cientistas dizem ter descoberto cura definitiva para alcoolismo

Vacina contra dengue pode fazer mais mal que bem em alguns locais

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão

Carne vermelha todo dia faz mal? Especificamente que mal?