Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

22/04/2014

Hemodiálise portátil promete liberdade para pacientes renais

Redação do Diário da Saúde
Hemodiálise portátil promete liberdade para pacientes renais
A máquina de diálise convencional (esquerda) poderá ser substituída por um aparelho levado em uma bolsa. [Imagem: CORDIS]

Diálise contínua

Um maior grau de liberdade, melhor saúde e mais tempo de vida estão a caminho para pessoas que dependem de hemodiálise.

Está em desenvolvimento um aparelho de hemodiálise portátil, que permitirá que os pacientes tenham uma espécie de rim artificial, filtrando seu sangue de forma contínua.

Sem tratamento, uma falha renal é fatal, mas ninguém pode dizer que ficar junto de uma máquina de diálise por horas possa ser considerado um tratamento ideal.

Além disso, a expectativa de vida de uma pessoa na faixa dos 20 anos que sofre de insuficiência renal é de apenas 20 anos, a menos que ela tenha a sorte de receber um transplante de órgão.

A solução para isso está vindo por meio do projeto Nephron+, financiado pela União Europeia.

Rim artificial portátil

O aparelho de diálise portátil - ou "rim artificial de vestir", como a equipe o chama - poderá permitir que os pacientes levem uma vida mais plena e ativa, acrescentando de 10 a 16 anos à sua esperança de vida.

O sistema funciona como uma máquina de diálise convencional, pegando o sangue do paciente e passando-o através de uma série de filtros, removendo os resíduos que normalmente deveriam ser excretados na urina, e certificando-se de que a pressão sanguínea do paciente permanece em um nível seguro.

O aparelho irá reduzir a chance de que um paciente tenha que ir para o hospital para tratamentos de emergências porque a diálise contínua é muito mais eficaz do que o tratamento intermitente.

Além disso, o paciente poderá ser monitorado remotamente, com os dados sendo transmitidos por conexão sem fios para um smartphone - qualquer desvio nos padrões poderá ser enviado para o médico especialista imediatamente.

O aparelho, chamado WAKD (Wearable Artificial Kidney Device, ou rim artificial de vestir, em tradução livre) está atualmente passando por testes em animais e terá que passar por várias rodadas de testes rigorosos em seres humanos antes de estar pronto para ser usado por todos os pacientes com doenças renais.

Contudo, o projeto já chegou a uma fase em que os parceiros comerciais estão prontos para levar a tecnologia para a próxima fase.


Ver mais notícias sobre os temas:

Equipamentos Médicos

Sistema Circulatório

Transplantes

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

O que é melhor: Meditação ou Férias?

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão