Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

29/08/2011

Homens acreditam que discutir seus problemas é perda de tempo

Redação do Diário da Saúde

"Ninguém nos entende"

Há anos os psicológicos insistem que os homens, de todas as idades, precisam se abrir mais e falar de seus problemas.

A teoria mais aceita até hoje é que os homens veriam o abrir-se para discutir abertamente as próprias dificuldades como um sinal de fraqueza.

Mas uma pesquisa realizada por psicólogos da Universidade de Missouri (EUA) mostrou um quadro totalmente diferente.

"Quando perguntamos aos jovens como eles se sentiriam ao falar de seus problemas, eles não expressaram mais temor ou ansiedade em fazer isto do que as meninas.

"Em vez disso, as respostas dos rapazes sugerem que eles simplesmente não veem o conversar sobre problemas como uma atividade particularmente útil," conta a Dra. Amanda J. Rose, coordenadora da pesquisa.

Falar de problema é perda de tempo

Rose e seus colegas conduziram quatro estudos diferentes, que incluíram questionários e observações de cerca de 2.000 crianças e adolescentes.

Os pesquisadores descobriram que as meninas têm expectativas positivas sobre o que sentiriam ao falar sobre seus problemas - como a expectativa de se sentirem cuidadas, compreendidas e menos sós.

Por outro lado, os meninos não endossam expectativas negativas mais do que as garotas, tais como a expectativa de se sentirem constrangidos, ou preocupados em serem provocados, ou se sentirem mal por não cuidar dos próprios problemas.

Em vez disso, eles relatam que falar sobre os próprios problemas os faria sentirem-se "estranhos" e como se eles estivessem "perdendo tempo".

Conselhos para os pais

"Uma implicação do estudo é que os pais devem incentivar os filhos a adotarem um meio-termo quando discutem os problemas com eles. Para os meninos, seria útil explicar que, pelo menos para alguns problemas, falar sobre eles não é perda de tempo.

"Além disso, os pais também devem saber que podem estar 'entrando no barco errado' se pensam que fazer os meninos se sentirem mais seguros fará com que se abram.

"Em vez disso, ajudar os garotos a verem alguma utilidade em falar sobre os próprios problemas pode ser mais eficaz," aconselha Rose.

"Por outro lado, muitas meninas correm o risco de falar excessivamente de problemas, o que está relacionado com a depressão e com a ansiedade. Assim, as meninas devem saber que falar dos problemas não é a única maneira de lidar com eles," recomenda.


Ver mais notícias sobre os temas:

Comportamento

Emoções

Cuidados com a Família

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Vacina contra dengue pode fazer mais mal que bem em alguns locais

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão

Carne vermelha todo dia faz mal? Especificamente que mal?