Idosos paulistas são campeões do sedentarismo

Campeões do sedentarismo

Os idosos paulistas lideram o ranking de pessoas que menos praticam atividades físicas. É o que aponta estudo da Secretaria de Estado da Saúde realizado realizado em 2008 com base em 2,6 mil entrevistas de pessoas ambos os sexos na cidade de São Paulo e outras 13 regiões do Estado.

Das pessoas com 60 anos ou mais ouvidas na pesquisa, 28,9% não atendem às recomendações da OMS (Organização Mundial de Saúde) para o acúmulo de 30 minutos de atividades físicas, que exijam movimento corporal, pelo menos cinco dias por semana. Esse índice é de 19,4% entre a população em geral.

De totalmente insatisfatório a insuficiente

Entre os idosos, 8,4% foram considerados totalmente sedentários. Outros 10,3% foram classificados como irregularmente ativos totais, ou seja, erram no tempo e número de dias em que fazem alguma atividade física. E 10,2% foram avaliados como irregularmente ativos parciais, ou seja, erram ou na quantidade de dias ou no tempo recomendado para os exercícios.

"A prática de atividades físicas é importante em qualquer idade, auxiliando na circulação e na prevenção de doenças. Alguns idosos, evidentemente, têm dificuldade de locomoção. Mas muitas pessoas com mais de 60 anos são saudáveis e deixam de fazer atividades físicas ao pararem de trabalhar, o que é um erro", afirma o coordenador do Agita São Paulo, Vítor Matsudo.

Problemas com os mais jovens também

A segunda faixa etária com maior prevalência de sedentarismo ou prática de atividade física insatisfatória é entre os paulistas de 30 a 39 anos, representando 21,2% do total de entrevistados. Entre as pessoas de 19 a 29 anos esse índice é de 18,3%, praticamente empatado com os 18,2% de pessoas entre 40 e 49 anos. Já entre os adolescentes de 14 a 18 anos o índice de sedentários e irregularmente ativos é de 11,4%.


Ver mais notícias sobre os temas:

Atividades Físicas

Diversão

Terceira Idade

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.