Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

03/11/2011

Início de tratamento de câncer no SUS demora quatro meses

Com informações da Agência Brasil

Espera pelo tratamento

Após receber o diagnóstico da doença, um paciente com câncer espera, em média, cerca de quatro meses para conseguir uma sessão de radioterapia pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

No caso de uma cirurgia, o tempo médio de espera cai para três meses e, para quimioterapia, dois meses e meio.

Os dados integram uma auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU) com base em dados oficiais da rede pública de atendimento e entrevistas com mais de 200 médicos e associações de apoio aos pacientes.

Excelência internacional

O parâmetro internacional de excelência, segundo o TCU, prevê o início do tratamento de câncer em, no máximo, 30 dias após o diagnóstico.

Os auditores detectaram que somente 16% dos pacientes com indicação de radioterapia e 35% de quimioterapia iniciaram o tratamento no prazo.

No Reino Unido, por exemplo, 99% dos doentes começam o tratamento em menos de um mês.

Por outro lado, o INCA (Instituto Nacional do Câncer) recentemente lançou um guia de recomendações para o tratamento de câncer de mama no qual a entidade recomenda o início do tratamento em 90 dias, a quimioterapia e a hormonioterapia em 60 dias e a radioterapia em 120 dias.

Falta de equipamentos

Depois de seis meses de trabalho, a equipe identificou um déficit de 135 equipamentos de radioterapia, 44 de cirurgia e 39 de quimioterapia no Brasil.

Em relação à radioterapia, se fossem contabilizados os aparelhos existentes na rede privada, ainda faltariam 57 unidades.

Outro dado do TCU mostra que menos da metade dos pacientes diagnosticados com câncer conseguiram ter acesso ao tratamento pelo SUS em 2010.

As falhas nos serviços, conforme os auditores, estão relacionadas à carência de investimentos, despreparo dos profissionais para operar equipamentos, ausência de mecanismos para acompanhar a qualidade do serviço prestado, demora na inclusão de novos tratamentos e baixos valores pago aos hospitais, o que desestimula a oferta dos serviços.


Ver mais notícias sobre os temas:

Câncer

Atendimento Médico-Hospitalar

Quimioterapia

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

O que é melhor: Meditação ou Férias?

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão