Novo laboratório público nacionaliza fabricação de medicamentos

O Bahiafarma, laboratório público fechado desde 1996, foi reaberto depois de investimentos de R$ 27 milhões feitos pelo Ministério da Saúde.

A ação é resultado das políticas do Ministério da Saúde de apoio à produção nacional de medicamentos e desenvolvimento do Complexo Industrial da Saúde.

Na ocasião, foi apresentado o primeiro medicamento a ser produzido pelo laboratório público, a Cabergolina, indicado para tratamento hormonal feminino.

O Cabergolina é utilizado no tratamento para o aumento e inibição da produção do leite, além outras disfunções associadas, como ausência de menstruação e de ovulação.

Atualmente, o Brasil importa o fármaco da Itália e da Argentina. Com a produção nacional, o país se torna independente da importação desse medicamento, e menos suscetível à instabilidade do câmbio. Somente no primeiro ano estima-se a economia de R$ 3,7 milhões.

Está prevista ainda a produção posterior de outros sete insumos, com estimativa de economia de R$ 34 milhões: Sevelâmer, para insuficiência renal crônica; o Everolimo e o Micofenolato Sódio, imunossupressores para transplantados; Etanercepte e Adalimumabe, para artrite reumatoide; Trastuzumabe, utilizado no tratamento de câncer de mama; e a vacina alergênica, para imunoterapia para asma.

As parcerias para transferência de tecnologias entre laboratórios permitem ao país a autonomia do processo de produção, desde o desenvolvimento até a disponibilização do medicamento no mercado. O domínio de todas as atividades de produção resulta em produtos de qualidade a preços competitivos, garantindo o abastecimento dos serviços públicos de saúde com redução da dependência internacional.

Economia da Saúde

O Complexo Industrial da Saúde envolve todo o conjunto de atividades relacionadas à saúde que tem uma dimensão na economia, na indústria farmacêutica, na indústria de equipamentos e materiais e todos os serviços da saúde. Hoje, a saúde responde por 10% do emprego qualificado no Brasil e reponde por quase 10% do Produto Interno Bruto (PIB), ou seja, de tudo o que o Brasil produz.

No total, o Ministério da Saúde assinou 104 'Parcerias para o Desenvolvimento Produtivo (PDPs)', com 79 parceiros envolvidos, sendo 19 laboratórios públicos e 57 privados, com 97 produtos (66 medicamentos, sete vacinas, 19 produtos para saúde e cinco pesquisas em desenvolvimento). As parceiras permitem negociar reduções significativas e progressivas de preços, na medida em que a tecnologia é transferida e desenvolvida.


Ver mais notícias sobre os temas:

Saúde Pública

Medicamentos

Medicamentos Naturais

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.