LEDs eliminam lesão que gera câncer de colo do útero

Terapia fotodinâmica

As lesões que causam o câncer de colo do útero - ou câncer cervical - podem ser tratadas de forma não invasiva usando luz.

A técnica, conhecida como Terapia Fotodinâmica (TFD), utiliza um creme e um aparelho portátil contendo duas ponteiras com LEDs - uma emitindo luz na cor azul e outra vermelha. A luz interage com o creme, matando seletivamente as células tumorais.

Os resultados obtidos pela equipe do professor Vanderlei Bagnato, da USP em São Carlos (SP), resultaram em um protocolo de tratamento inovador que está pronto para uso clínico.

Câncer cervical

Considerada uma das doenças que mais matam mulheres no mundo - sendo que no Brasil é o segundo tipo de câncer mais prevalente no sexo feminino -, o câncer de colo do útero é uma doença que se desenvolve a partir da Neoplasia Intraepitelial Cervical (NIC), lesão que mostra uma forte associação com o vírus HPV (sigla em inglês para papilomavírus humano).

Existem mais de 150 tipos de HPV descritos na literatura, sendo que eles são divididos em dois grupos: de baixo e alto risco, que depende da capacidade do vírus em desenvolver lesões benignas, como o condiloma; ou, se for um tipo viral oncogênico, pode desenvolver principalmente o câncer de colo de útero.

Até este momento, os pesquisadores brasileiros aplicaram a técnica em 70 pacientes com NIC (Neoplasia Intraepitelial Cervical), eliminando as lesões com apenas 20 minutos de iluminação.

Preservar o colo do útero

A pesquisadora Natália Inada destaca que a técnica é muito vantajosa porque, ao contrário do procedimento comumente realizado, a terapia fotodinâmica trata as lesões de forma não invasiva, preservando o colo do útero das pacientes.

Além disso, basta uma sessão para que uma paciente seja tratada sem anestesia e sem dor. Na técnica convencional, sendo diagnosticado o NIC de alto grau, é realizado um procedimento cirúrgico (CAF ou Cirurgia de Alta Frequência), onde, geralmente, mais de 2 centímetros (cm) de profundidade e 3 cm de extensão do colo do útero são removidos. Os efeitos colaterais da CAF comumente incluem hemorragia e, por vezes, o estreitamento do colo do útero, o que é chamado de estenose do colo do útero. "Isso pode diminuir a fertilidade", explica Natália.

O aparelho, que recebeu o nome de CERCa (de "Cervical Cancer"), já foi aprovado por especialistas e está em fase final de certificação para o início de sua fabricação industrial.


Ver mais notícias sobre os temas:

Fotônica

Câncer

Saúde da Mulher

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.