Leptospirose - Riscos aumentam com chuvas

Durante o inverno, as chuvas são frequentes em grande parte do território brasileiro.

Nesta época, os riscos de contrair leptospirose aumentam.

A doença, transmitida pela água contaminada pela urina de ratos, infecta as pessoas que têm contato com água de enchentes e alagamentos, mas uma simples poça pode também estar contaminada, principalmente em locais onde há presença de lama.

De acordo com Eduardo Caldas, da Unidade Técnica de Vigilância das Zoonoses do Ministério da Saúde, quem anda de chinelos e até descalço próximo a esses locais corre risco de ficar doente.

"Lugares onde não há sistema de esgotamento adequado, apropriado, que a água passa no meio-fio, passa na sarjeta e que tenha muito presente roedores em função da possibilidade do roedor ter alimento próximo, ele naturalmente vai infectar aquele local, aquele ambiente que está ali. As pessoas descuidadas, nesses ambientes, especialmente na lama residual que fica depois da água, onde o roedor teve a oportunidade de urinar naquele local, as pessoas podem se infectar com a presença do agente a partir desta condição", afirma Caldas.

Nos casos menos graves de leptospirose, os sintomas são semelhantes aos de uma gripe.

Para evitar a leptospirose, é preciso se proteger das poças d'água próximas a bueiros e esgotos com botas de borracha. Somente no ano passado, dados do Ministério da Saúde revelam que a doença foi responsável por mais de 4 mil casos e cerca de 350 mortes no Brasil.


Ver mais notícias sobre os temas:

Contaminação

Higiene Pessoal

Prevenção

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.