Ler em mídia digital muda compreensão do texto

Ler em mídia digital muda sua compreensão do texto
Outros estudos já haviam concluído que os livros eletrônicos exigem menos esforço mental que os livros de papel.
[Imagem: Wikimedia]

Concreto versus abstrato

Usuários de tablets, leitores eletrônicos e notebooks, cuidado!

Usar essas plataformas digitais para leitura pode torná-lo mais inclinado a se concentrar nos detalhes concretos, em vez de interpretar a informação de forma mais abstrata.

"Isso serve como mais um sinal de alerta para como a mídia digital pode estar afetando as nossas possibilidades de usar o pensamento abstrato," aconselha Geoff Kaufman, do Dartmouth College (EUA), que apresentou os dados durante a Conferência sobre Fatores Humanos nos Sistemas de Computação, que ocorreu na semana passada nos EUA.

Níveis de interpretação

A pesquisa avaliou uma pergunta básica: processar a mesma informação em uma plataforma digital versus não-digital afeta os níveis de interpretação?

Níveis de interpretação, ou níveis construais, expressam o nível fundamental de concretude versus abstração que as pessoas usam ao perceber e interpretar comportamentos, eventos e outros estímulos informativos.

Para responder à pergunta, foram realizados quatro experimentos que avaliaram como o processamento de informações é afetado pelo uso de cada uma das plataformas. Participaram dos estudos cerca de 300 voluntários, com idades entre 20 e 24 anos.

Os resultados mostraram que, tanto a compreensão da leitura, quanto a resolução de problemas decorrente do entendimento da leitura, foram afetados de forma significativa pelo tipo de plataforma utilizada para a leitura.

Digital versus impresso

Nos experimentos, os voluntários deviam ler um texto impresso em papel ou mostrado em um leitor eletrônico e depois responder questões sobre ele.

Para as questões abstratas sobre material de ficção, os participantes que leram em papel tiraram notas mais altas em questões de inferência, com 66% de correção, contra 48% de quem leu em plataforma digital. Quanto às questões concretas, os participantes usando a plataforma digital saíram-se melhor, com 73% de acerto, em comparação com 58% para a leitura em papel.

Quando leram artigos sobre questões concretas - carros, por exemplo - e deviam julgar qual modelo era superior, 66% dos que leram o material impresso acertaram a questão, contra 43% daqueles que leram em meio digital.

"Dado que os psicólogos têm mostrado que os níveis de interpretação podem afetar largamente questões como a autoestima e a busca de objetivos, é fundamental reconhecer o papel que a digitalização da informação pode estar tendo sobre este importante aspecto da cognição," concluiu Geoff Kaufman.


Ver mais notícias sobre os temas:

Educação

Mente

Felicidade

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.