Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

04/05/2015

Líderes que sabem "ler o grupo" são mais bem-sucedidos

Redação do Diário da Saúde
Líderes que sabem
"Nas empresas, muitas vezes os funcionários tentam esconder suas reações emocionais autênticas em eventos organizacionais ou durante a mensagem de um líder." [Imagem: Umich/Divulgação]

Abertura profissional

Artistas definem esse efeito como "ler a multidão" ou "avaliar o público."

Qualquer que seja a definição, contudo, esse talento pode definir o sucesso de alguém como um grande líder nos negócios.

O professor Jeffrey Sanchez-Burks, da Universidade de Michigan (EUA), chama essa habilidade de "abertura profissional", e afirma que ela tem capacidade de definir uma carreira.

Com base em um trabalho de longo prazo sobre a inteligência emocional - a capacidade de ler e reagir às emoções das pessoas - Sanchez-Burks e uma equipe de colaboradores analisaram a presença dessa habilidade em um ambiente coletivo, relevante para líderes empresariais.

"Os líderes não têm o luxo de reuniões individuais com todos os funcionários da sua organização, e nós temos negligenciado os desafios únicos e os potenciais benefícios de conseguir entender o emocional de uma equipe, de uma unidade ou divisão," disse Sanchez-Burks.

Pistas não-verbais e emocionais

Para realizar o estudo, a equipe desenvolveu um teste - a medida da abertura emocional - que dá notas à capacidade de uma pessoa em ler as emoções coletivas e também permite que esse profissional aprenda como se ajustar.

Em três experimentos, demonstrou-se que os líderes empresariais que são capazes de ler melhor as pistas não-verbais e emocionais de um grupo são mais bem-sucedidos aos olhos dos seus subordinados.

As pesquisas também mostraram que a habilidade de uma pessoa em entender um indivíduo não necessariamente significa que essa pessoa possa "ler" um grupo.

"Nas empresas, muitas vezes os funcionários tentam esconder suas reações emocionais autênticas em eventos organizacionais ou durante a mensagem de um líder," disse Sanchez-Burks. "Mas a nossa pesquisa mostra que os bons líderes são capazes de decodificar estas rápidas expressões faciais que geralmente as pessoas não são boas para controlar e se ajustar de acordo [com elas]."


Ver mais notícias sobre os temas:

Comportamento

Trabalho e Emprego

Emoções

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

O que é melhor: Meditação ou Férias?

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão