Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

23/11/2015

Livro sobre jararacas apresenta serpentes às crianças

Com informações da Agência Fapesp
Livro sobre jararacas apresenta serpentes às crianças
Outras lições que poderiam ser acrescentadas dizem respeito aos vários outros usos medicinais dos venenos das cobras.[Imagem: Divulgação]

Jararacas

Donas de fama negativa no imaginário popular, as jararacas, serpentes venenosas encontradas em várias regiões do país, ganharam representação mais amigável no livro "Jararaca, sim, com muito orgulho", de Otávio Augusto Vuolo Marques e Jussara Goyano - do Instituto Butantan - com ilustrações de Fernando Bastos.

O livro tem o objetivo de desmistificar diversos aspectos relacionados às serpentes.

"A jararaca é um dos bichos mais comuns no Sudeste e tem bastante evidência do ponto de vista ecológico e também no imaginário popular, mas nem sempre de forma cientificamente correta. A 'crise existencial' que a personagem sofre na história vem disso e é o que a leva à sua jornada de autoconhecimento", contou Marques.

E o veneno das jararacas não é apenas ameaçador, ele pode ser usado para combater doenças. Por exemplo, o veneno da jararaca é eficaz contra o câncer de pele e recentemente se descobriu que o veneno dessa cobra interrompe o sangramento em 6 segundos.

Mas o livro é voltado ao público infantil e apresenta informações básicas sobre as serpentes. A história parte da curiosidade de sua protagonista, uma pequena jararaca que deseja saber de onde veio e por que é como é - com uma língua que não para dentro da boca, sem orelhas e com outras características anatômicas decorrentes do processo evolutivo que remonta aos seus antepassados lagartos.

As curiosidades sobre as serpentes servem de motivação para que os autores apresentem e discutam conceitos essenciais em evolução e ecologia, como a diferenciação de espécies, especiação, adaptação e seleção natural, além de biodiversidade e conservação.

Ilhas das Cobras

A jararaca da história é nativa do continente e parte em busca de sua identidade até parar na Ilha da Queimada Grande, conhecida como Ilha das Cobras, no litoral paulista. Lá ela faz novos amigos e conhece a jararaca-amarela, ou jararaca-ilhoa, típica do local.

Localizada dentro de uma área de proteção ambiental, a ilha tem uma das maiores densidades populacionais de serpentes do mundo: são 430 mil m² de área de Mata Atlântica habitados quase que exclusivamente por serpentes. Estudos estimam que existam 2.300 jararacas-ilhoas no local, além de outra cobra, a dormideira, mais rara.

"A jararaca-ilhoa surgiu em função do isolamento da ilha, com a elevação do nível do mar, e essa história real, além de ensinar sobre diferenciação de espécies com um exemplo brasileiro, traz lições de preservação, porque se trata de uma espécie em risco de extinção", disse Marques.

Utilidade do veneno das cobras

Outras lições que poderiam ser acrescentadas dizem respeito aos vários outros usos medicinais dos venenos das cobras:


Ver mais notícias sobre os temas:

Educação

Acidentes

Desenvolvimento de Medicamentos

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Nanoestrelas matam bactérias sem desenvolver resistência

Ciência começa a entender eficácia da Medicina Chinesa contra o câncer

O que é melhor: Meditação ou Férias?

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento