Luva-curativo acelera recuperação das mãos

Luva medicinal

Tratar e curar ferimentos nas mãos não é uma tarefa fácil.

Sobretudo para os pacientes que sofrem queimaduras, a imobilização não é eficaz e a constante troca e retirada dos curativos para verificação da cicatrização é dolorosa e também atrapalha a recuperação.

A saída pode estar em uma luva especial projetada por dois médicos da Universidade de Arlington (EUA).

A luva gera uma pressão negativa, uma técnica que tem-se mostrado muito eficaz na aceleração da recuperação e cicatrização, e também permite a aplicação de medicamentos de forma rápida e com menos dor.

Além disso, a luva permite a movimentação da mão, o que é essencial sobretudo na fase inicial de recuperação, acelerando o processo de reabilitação e possibilitando uma recuperação mais ampla dos movimentos e da sensibilidade.

Luva-curativo

Luva-curativo acelera recuperação das mãos
Protótipo da luva-curativo, que aplica uma pressão negativa e ajuda na recuperação.
[Imagem: UT Arlington]

A ideia é usar a luva para aplicar cremes e géis tópicos, assim como para lavar os ferimentos e remover fluidos.

"A luva Reheal é um exemplo de pesquisa que virou protótipo e que pode verdadeiramente beneficiar as vítimas de traumas e queimaduras graves," disse o Dr. Christopher Allan, que desenvolveu a luva juntamente com seu colega Muthu Wijesundara.

Com os bons resultados do protótipo, os dois pesquisadores receberam financiamento para desenvolvê-lo e torná-lo pronto para comercialização.


Ver mais notícias sobre os temas:

Equipamentos Médicos

Infecções

Tratamentos

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.