Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

04/04/2016

Luzes da rua podem estar atrapalhando seu sono

Redação do Diário da Saúde
Luzes da rua podem estar atrapalhando o seu sono
Além de afetar o sono, a iluminação do ambiente afeta a forma como você toma decisões. E parece que o relógio biológico não é a única rota para a influência da luz sobre a saúde.[Imagem: National Institute of General Medical Sciences]

Iluminação e sono

Você não costuma dormir muito bem?

A causa pode estar na iluminação pública na área onde você reside, sobretudo se seu quarto não conta com janelas que impeçam totalmente a passagem da luz.

"Nosso mundo tornou-se uma sociedade 24/7 [24 horas por dia, sete dias por semana]. Usamos iluminação exterior, as luzes da rua, para nos tornamos mais ativos durante a noite e para aumentar a nossa segurança. A preocupação é que reduzimos a nossa exposição à escuridão, o que pode estar afetando o nosso sono," explica o Dr. Maurice Ohayon, da Universidade de Stanford (EUA).

Para chegar a essa conclusão, a equipe de Ohayon estudou 15.863 pessoas durante um período de oito anos. Foram acompanhados hábitos de sono, qualidade do sono, bem como distúrbios médicos e psiquiátricos.

Luzes da civilização

Para saber a quantidade de luz ao ar livre que essas pessoas estavam expostas durante a noite foram usados dados noturnos do Programa de Satélites Meteorológicos dos EUA.

Os dados de satélite mostram que as pessoas que vivem em áreas urbanas com 500.000 habitantes ou mais estão expostas a luzes noturnas 3,5 vezes mais intensas do que as pessoas que vivem em cidades pequenas e áreas rurais.

O cruzamento dos dados mostrou que a luz noturna afeta a duração do sono e está significativamente associada com distúrbios do sono.

Sono e luz

As pessoas que vivem em áreas com luz mais intensa mostram-se 6% mais propensas a dormir menos de seis horas por noite do que as pessoas em áreas com luz menos intensa. Elas também são mais propensas a não se sentirem satisfeitas com a sua quantidade ou qualidade de sono do que as pessoas em áreas mais escuras - 29% e 16% de insatisfação, respectivamente.

Pessoas com alta exposição à luz noturna também foram mais propensas a relatar fadiga e têm o sono noturno de menor duração.

Além disso, as pessoas com alta exposição à luz são mais propensas a acordar confusas durante a noite do que as pessoas com baixa exposição à luz, com 19% enfrentando esse problema, em comparação com 13%. Elas também são mais propensas a ter sonolência excessiva e ter suas atividades diurnas prejudicadas - 6% em comparação com 2%.


Ver mais notícias sobre os temas:

Sono

Qualidade de Vida

Olhos e Visão

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Nanoestrelas matam bactérias sem desenvolver resistência

Ciência começa a entender eficácia da Medicina Chinesa contra o câncer

O que é melhor: Meditação ou Férias?

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento