Manutenção da capacidade aeróbica retarda envelhecimento em até 12 anos

Capacidade aeróbica

A manutenção da capacidade aeróbica a partir da meia-idade pode retardar o processo biológico de envelhecimento em até 12 anos e prolongar a independência durante a terceira idade, concluiu um estudo publicado no British Journal of Sports Medicine.

Exercícios aeróbicos, como a caminhada, aumentam o consumo de oxigênio do corpo e seu uso na geração de energia - o metabolismo. Mas a capacidade aeróbica máxima começa a cair rapidamente a partir da meia-idade, diminuindo cerca de 5 ml/[kg.min] a cada década.

Em um homem sedentário típico, a capacidade aeróbica máxima terá caído para cerca de 25 mil/[kg.min] por volta dos 60 anos, quase a metade do que era na idade de 20 anos.

Retardando o envelhecimento

Mas as evidências mostram que o exercício aeróbico regular pode diminuir e até reverter o declínio inexorável, mesmo em idade bem avançada.

A pesquisa demonstrou que exercícios aeróbicos de intensidade relativamente alta, por um período relativamente longo, incrementam a capacidade aeróbica máxima em 25%, o equivalente a um ganho de 6 ml/[kg.min], ou de 10 a 12 anos biológicos.

Independência funcional

"Há boas evidências que a conservação do influxo máximo de oxigênio aumenta a probabilidade de que pessoas idosas retenham a independência funcional," dizem os autores.

Outros efeitos positivos dos exercícios aeróbicos são a redução dos riscos de doenças sérias, recuperação mais rápida após acidentes ou doenças, e reduzidos riscos de quedas por conta da manutenção da força muscular, do equilíbrio e da coordenação.


Ver mais notícias sobre os temas:

Terceira Idade

Atividades Físicas

Felicidade

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.