Medicamentos contra malária são doados à Venezuela

O Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos/Fiocruz) enviou 160.050 comprimidos do antimalárico artesunato + mefloquina (ASMQ) à Venezuela. Desses, cerca de 25 mil foram para tratamento infantil.

A doação foi realizada a partir de uma solicitação da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) ao Núcleo de Assistência Farmacêutica (NAF), a fim de apoiar o país sul-americano no tratamento de pessoas com a doença.

O coordenador de Assistência Farmacêutica, Antônio Carlos Morais, explicou que a doação não causará impacto ao orçamento institucional. "O Ministério da Saúde não nos tem solicitado novas distribuições do ASMQ. O que estamos doando é excedente de produção", enfatizou.

Aqui no Brasil, o ASMQ é um dos medicamentos que fazem parte do programa de combate à malária. Os outros dois são a cloroquina e a primaquina, ambos produzidos por Farmanguinhos.

Melhor tratamento contra a malária

Totalmente desenvolvido por Farmanguinhos com o apoio da Iniciativa Medicamentos para Doenças Negligenciadas (DNDi, na sigla em Inglês), o ASMQ é um medicamento inovador contra a malária, capaz de curar o paciente em até três dias.

Sua formulação em dose fixa combinada de artesunato e mefloquina é considerada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como o melhor tratamento contra a malária.

O esquema é simples, tanto para crianças, quanto para os adultos: basta uma única dose de um ou dois comprimidos durante três dias.


Ver mais notícias sobre os temas:

Saúde Pública

Medicamentos

Ética

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.