Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

25/02/2015

Medicamentos contra malária são doados à Venezuela

Com informações da Farmanguinhos/Fiocruz

O Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos/Fiocruz) enviou 160.050 comprimidos do antimalárico artesunato + mefloquina (ASMQ) à Venezuela. Desses, cerca de 25 mil foram para tratamento infantil.

A doação foi realizada a partir de uma solicitação da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) ao Núcleo de Assistência Farmacêutica (NAF), a fim de apoiar o país sul-americano no tratamento de pessoas com a doença.

O coordenador de Assistência Farmacêutica, Antônio Carlos Morais, explicou que a doação não causará impacto ao orçamento institucional. "O Ministério da Saúde não nos tem solicitado novas distribuições do ASMQ. O que estamos doando é excedente de produção", enfatizou.

Aqui no Brasil, o ASMQ é um dos medicamentos que fazem parte do programa de combate à malária. Os outros dois são a cloroquina e a primaquina, ambos produzidos por Farmanguinhos.

Melhor tratamento contra a malária

Totalmente desenvolvido por Farmanguinhos com o apoio da Iniciativa Medicamentos para Doenças Negligenciadas (DNDi, na sigla em Inglês), o ASMQ é um medicamento inovador contra a malária, capaz de curar o paciente em até três dias.

Sua formulação em dose fixa combinada de artesunato e mefloquina é considerada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como o melhor tratamento contra a malária.

O esquema é simples, tanto para crianças, quanto para os adultos: basta uma única dose de um ou dois comprimidos durante três dias.


Ver mais notícias sobre os temas:

Saúde Pública

Medicamentos

Ética

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Cientistas dizem ter descoberto cura definitiva para alcoolismo

Vacina contra dengue pode fazer mais mal que bem em alguns locais

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão

Carne vermelha todo dia faz mal? Especificamente que mal?