Médicos estrangeiros do Programa Mais Médicos desembarcam no Brasil

Os 68 médicos estrangeiros selecionados para atuar no Programa Mais Médicos, que serão treinados e avaliados no Rio de Janeiro, começaram a chegar hoje (23) à cidade.

O primeiro voo chegou ao Aeroporto Internacional do Galeão/Antônio Carlos Jobim pouco antes das 16h, trazendo dois médicos que atuavam na Rússia e 11 em Portugal.

Desembarcaram também um argentino e dois brasileiros que trabalhavam no país vizinho. Até domingo chegam voos da Espanha, do Uruguai e da Itália.

No Aeroporto Internacional de Guarulhos, na Grande São Paulo, desembarcaram os três primeiros médicos (um argentino e dois brasileiros) que vão trabalhar em São Paulo. Um número não confirmado de profissionais deverão continuar desembarcando em Guarulhos durante o final de semana - do total de médicos estrangeiros e de brasileiros que se formaram fora do país, 47 trabalharão no estado de São Paulo.

Os brasileiros começam a trabalhar no dia 2 de setembro. Por sua vez, os estrangeiros, iniciarão na segunda-feira (26) um curso ministrado em conjunto pelos ministérios da Saúde e da Educação para que possam entender o funcionamento do Sistema Único de Saúde (SUS) do país e a legislação brasileira.

Durante três semanas, os médicos terão aulas sobre o programa de saúde pública brasileiro e de língua portuguesa. Serão aulas expositivas, oficinas, visitas técnicas ao serviço de saúde e simulações de consultas e casos complexos. Todos os inscritos receberão noções de português.

As aulas incluem legislação, funcionamento do Sistema Único de Saúde (SUS), com enfoque na atenção básica, doenças prevalentes no país e aspectos éticos da profissão.

Para os médicos que vão atuar em áreas indígenas, além do módulo que será oferecido a todos os profissionais estrangeiros, haverá aulas complementares específicas sobre a saúde desses povos. Nesse caso, as aulas ocorrerão em Brasília. Todo o material que será usado foi elaborado por uma comissão formada por professores de universidades federais inscritas no programa, escolas de saúde pública e programas de residência, sob orientação do Ministério da Educação (MEC).

Todos os médicos do programa serão acompanhados por docentes das universidades federais de todo o país. Para trabalhar no país, todos os médicos precisarão ter registro profissional reconhecido e terem-se formado em faculdades reconhecidas em seus países de origem.

Ao todo, 145 estrangeiros confirmaram a participação no Programa Mais Médicos, além de 99 brasileiros formados no exterior, que também passarão pelo módulo de avaliação.

Os médicos formados fora do país não vão trabalhar em hospitais e também não poderão montar consultórios no Brasil. O trabalho deles ocorrerá somente nos postos de saúde e unidades básicas de saúde, no atendimento de primeiros cuidados das famílias. Eles só poderão atuar nos municípios que escolheram: o trabalho em municípios vizinhos, por exemplo, não vai ser admitido.

O treinamento ocorrerá em Porto Alegre, São Paulo, no Rio de Janeiro, em Belo Horizonte, Brasília, Salvador, no Recife e em Fortaleza. Os 244 profissionais vão atuar em 132 municípios e em dois distritos de Saúde Indígena. No estado do Rio de Janeiro serão instalados 47 profissionais.

Os médicos começarão a atuar nos municípios no dia 16 de setembro. Eles terão registro provisório para trabalhar por três anos no Brasil, exclusivamente no local selecionado no programa, e a bolsa de R$ 10 mil será paga pelo governo federal. As prefeituras ficarão responsáveis pela alimentação e moradia e universidades federais e secretarias estaduais e municipais de saúde farão a supervisão do trabalho.


Ver mais notícias sobre os temas:

Saúde Pública

Atendimento Médico-Hospitalar

Educação

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.