Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

25/09/2014

Medidor de glicose usa diferentes cores para monitoramento contínuo

Redação do Diário da Saúde
Medidor de glicose usa diferentes cores para monitoramento contínuo
Antes de a glicose ser adicionada, o hidrogel é azul. Conforme o nível de glicose sobe, a cor muda em direção ao verde e depois vermelho.[Imagem: Chunjie Zhang]

Medir os níveis de glicose no organismo é essencial para os pacientes diabéticos.

O problema é que os medidores atuais ainda deixam a desejar.

Para eliminar essa deficiência, engenheiros criaram um monitor de glicose que muda de cor de forma contínua, variando a coloração conforme o nível de glicose varia.

O material é tão preciso que os pesquisadores afirmam ter aberto as portas para a dosagem automática de insulina, algo que não é possível com as fitas de medição disponíveis hoje.

"Usando os sistemas de hoje você pode determinar as tendências nos níveis de glicose, mas sem uma recalibração frequente você não tem a precisão ou a confiabilidade para usá-los para tomar decisões de dosagem de insulina ou para fazer uma administração autônoma," disse Paul Braun, da Universidade de Illinois (EUA).

Hidrogel

O novo medidor é feito à base de hidrogel, um material gelatinoso flexível, ao qual são adicionados compostos de ácido borônico e moléculas especiais que funcionam como um espelho que reflete a luz de forma precisa.

O ácido borônico liga-se à glicose presente na amostra de sangue, fazendo com que o gel se expanda, alterando o comportamento das moléculas emissoras de luz, que emitem cores de acordo com a expansão ou contração do gel.

O material que muda de cor é simples e pode ser fabricado a baixo custo. E, de acordo com os pesquisadores, um centímetro quadrado de hidrogel pode ser suficiente para até 25 pacientes.

A equipe vislumbra esse hidrogel como parte de um sistema subcutâneo ou de um dispositivo mais sofisticado em contato com a corrente sanguínea - uma bomba de insulina, por exemplo.

No entanto, a aplicação com a qual eles estão mais animados é no monitoramento contínuo de pacientes internados em unidades de terapia intensiva, que têm uma necessidade mais crítica de monitoramento contínuo - sejam diabéticos ou não.


Ver mais notícias sobre os temas:

Exames

Implantes

Alimentação e Nutrição

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Nanoestrelas matam bactérias sem desenvolver resistência

Ciência começa a entender eficácia da Medicina Chinesa contra o câncer

O que é melhor: Meditação ou Férias?

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento