Meditação ajuda o cérebro a baixar o volume das distrações

Meditação ajuda o cérebro a baixar o volume das distrações
Os efeitos positivos da meditação sobre a dor e a memória de trabalho podem resultar de uma maior capacidade de regular uma onda cerebral fundamental, conhecida como ritmo alfa.
[Imagem: MIT]

Ritmo alfa

Os efeitos positivos da meditação sobre a dor e a memória de trabalho podem resultar de uma maior capacidade de regular uma onda cerebral fundamental, conhecida como ritmo alfa.

Acredita-se que esse ritmo alfa "baixe o volume" das informações que causam distração, o que sugere que a meditação pode ajudar o cérebro a lidar com um mundo que frequentemente apresenta um excesso de estímulos.

A conclusão é de um grupo de cientistas de três instituições renomadas dos Estados Unidos - Massachusetts General Hospital, Escola Médica de Harvard e Instituto de Tecnologia de Massachusetts.

Meditação da mente alerta

A modulação voluntária do ritmo alfa em resposta a um pedido de atenção foi mais rápida e significativamente mais forte entre os participantes do estudo que completaram oito semanas de um programa de meditação conhecida como meditação da mente alerta.

Na meditação da mente alerta os praticantes centram sua atenção diretamente em suas sensações, sentimentos e estado de espírito, sem nenhum julgamento.

"Tem sido documentado que a meditação da mente alerta realça inúmeras habilidades mentais, incluindo a rápida recuperação da memória," explica Catherine Kerr coautora do estudo. "Nossa descoberta de que praticantes dessa meditação ajustam mais rapidamente a onda cerebral que filtra a distração pode explicar essa capacidade otimizada de se lembrar rapidamente e incorporar novos fatos."

Ondas cerebrais

As células do cérebro usam diversas ondas, ou frequências de ondas, para regular o fluxo de informações, de forma muito parecida com as estações de transmissão de rádio, que operam em frequências específicas.

Uma dessas frequências, o ritmo alfa, é particularmente ativa nas células que processam os toques, o som e a imagem na camada mais externa do cérebro, chamada córtex, onde ela ajuda a suprimir sensações irrelevantes ou de distração, e regular o fluxo de informação sensorial entre as regiões cerebrais.

Estudos anteriores sugeriram que a atenção pode ser usada para regular o ritmo alfa e, por decorrência, a percepção sensorial.

Quando um indivíduo antecipa um toque, visão ou som, a mudança do foco de atenção para o estímulo esperado induz a uma onda alfa mais baixa nas células corticais que deveriam lidar com a sensação de espera, que na verdade "eleva o volume" dessas células.

Ao mesmo tempo, a altura das ondas alfa em células que iriam lidar com os aumentos das informações irrelevantes ou de distração se eleva, baixando o volume dessas regiões.


Ver mais notícias sobre os temas:

Meditação

Cérebro

Educação

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2017 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.