Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

09/06/2012

Meditação melhora capacidade de ver os próprios erros

Redação do Diário da Saúde
Meditação melhora capacidade de ver os próprios erros
Antes relacionada a aspectos religiosos, cada vez mais os efeitos positivos da meditação são aferidos por pesquisas neurológicas.[Imagem: MIT]

Inteligência emocional

Pessoas que fazem meditação saem-se melhor em tarefas que requerem autocontrole.

Isso acontece porque elas são mais abertas a suas próprias emoções.

Esta é a conclusão de Michael Inzlicht e seus colegas da Universidade de Toronto (Canadá).

Para os psicólogos, o autocontrole - que eles também chamam de "controle executivo" - é a capacidade de prestar atenção aos estímulos apropriados e iniciar comportamentos apropriados, ao mesmo tempo inibindo os comportamentos inapropriados.

É o autocontrole que o mantém estudando quando você gostaria de ir assistir TV, ou o faz levantar-se de manhã para ir caminhar, mesmo que você preferisse continuar dormindo.

"Nossos resultados sugerem que a força de vontade ou o autocontrole podem ser mais apurados em pessoas que são sensíveis e abertas às suas próprias experiência emocionais. A força de vontade, em outras palavras, está relacionada com a inteligência emocional," disse Inzlicht.

Emoções e autocontrole

A maioria das técnicas de meditação enfatiza duas práticas principais: consciência do momento presente - a chamada meditação da mente alerta - , e aceitação dos estados emocionais - o autodistanciamento emocional.

É sabido que a prática em manter a atenção no agora reforça o controle executivo, mas os pesquisadores queriam aferir a influência da aceitação emocional sobre o controle de si mesmo.

Eles analisaram a chamada "Negatividade Relacionada ao Erro", um sinal elétrico que surge no cérebro 100 milissegundos depois que uma pessoa comete um erro, o que é bem antes que ela possa estar consciente do erro.

"É uma espécie de 'ops' cerebral, um sinal de alarme cortical," explicam os pesquisadores.

Aceitação e bola para a frente

Os resultados mostraram que o cérebro dos participantes do estudo que praticavam meditação toca esse alarme cerebral muito mais fortemente do que os demais.

Mas o resultado foi ainda melhor entre aqueles que praticam técnicas de meditação voltadas à aceitação de suas emoções do que entre praticantes daquelas voltadas para a atenção, que privilegiam aspectos mais cognitivos do que emocionais.

O sinal da Negatividade Relacionada ao Erro possui um componente motivacional ou afetivo, dizem os pesquisadores. Em outras palavras, ele traz uma sensação ruim quando cometemos uma falha, e essa sensação pode motivar a pessoa a fazer melhor as coisas.

Desde, é claro, que a pessoa esteja consciente de suas emoções, para conseguir detectar essa sensação sutil.

Como as pessoas que fazem meditação estão mais conscientes de suas emoções, elas capturam a sensação mais rapidamente, aceitam-na sem se culpar, e partem para fazer melhor, concluem eles.


Ver mais notícias sobre os temas:

Meditação

Emoções

Neurociências

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Ciência começa a entender eficácia da Medicina Chinesa contra o câncer

O que é melhor: Meditação ou Férias?

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão