Meditação melhora foco e relacionamento no trabalho

Meditação melhora foco, atenção e relacionamento no trabalho
A "ciência da meditação" talvez não lhe leve à iluminação espiritual, mas pode melhorar o ambiente de trabalho e a vida mesmo de pessoas com preocupações mais materialistas.
[Imagem: Mike Cohea/Brown University]

Meditação para os negócios

Há poucos dias, especialistas recomendaram que a meditação seja praticada no trabalho, durante o expediente.

E parece que a prática não trará resultados apenas para o meditador, mas também para o próprio negócio.

Um novo levantamento mostra que a meditação pode ser uma ferramenta de gestão capaz de melhorar a atenção, a motivação e a produtividade da equipe inteira.

Uma cultura corporativa da meditação focada na atenção plena - comumente conhecida como meditação da mente alerta - melhora não apenas o foco, mas também o relacionamento interpessoal e a capacidade de gerir o estresse.

Meditação e gestão

Os pesquisadores analisaram 4.000 artigos científicos sobre vários aspectos da atenção plena, destilando a informação em um guia acessível que documenta como a meditação da mente alerta pode impactar a forma como as pessoas pensam, sentem, agem, se relacionam e executam suas tarefas no trabalho.

"Historicamente, as empresas têm-se mostrado reticentes em oferecer treinamento da mente alerta porque a prática era vista como algo sem substância, esotérico e espiritual. Mas isso está mudando," afirma Christopher Lyddy, da Universidade Case Western (EUA).

De fato, organizações como Google, Aetna, Clínica Mayo e a Marinha dos EUA já anunciaram usar esse treinamento da mente para melhorar os locais de trabalho. Este novo levantamento reforça os vários resultados científicos anteriores que dão suporte ao uso da meditação no local de trabalho, com múltiplos benefícios.

Meditação melhora foco, atenção e relacionamento no trabalho
Hoje já se sabe que a meditação causa mudanças neurobiológicas. É por isso que a prática tornou-se praticamente uma unanimidade do meio acadêmico: Cure a si mesmo: Faça meditação.
[Imagem: Eileen Luders]

"Quando você está com atenção plena no momento, você pode ter uma maior consciência no presente. Isso é vital para qualquer executivo ou gerente, que, em determinado momento, pode ser bombardeado com vários problemas que exigem decisões sob estresse," disse Lyddy.

Conclusões científicas sobre meditação

A meta-análise feita por Lyddy e seus colegas demonstra que:

  1. A meditação da mente alerta parece impactar positivamente o funcionamento humano em geral. Pesquisas em disciplinas como psicologia, neurociência e medicina fornecem uma riqueza de evidências de que a atenção plena melhora a atenção, cognição, emoções, comportamento e fisiologia.
  2. De forma direta, mostrou-se que a meditação da mente alerta melhora três qualidades da atenção: a estabilidade, o controle e a eficiência. A mente humana parece vaguear cerca de metade das nossas horas de vigília, e a meditação da mente alerta pode estabilizar a atenção no presente. Indivíduos que completaram o treinamento da mente alerta mantêm-se mais vigilantes tanto em tarefas visuais quanto em tarefas auditivas.
  3. Embora a meditação da mente alerta opere diretamente ao nível do indivíduo, indícios iniciais sugerem que ela afeta o comportamento interpessoal e os relacionamentos em grupos de trabalho.
  4. A meditação da mente alerta pode melhorar os relacionamentos aumentando a empatia e a compaixão, sugerindo que o treinamento poderia melhorar os processos de trabalho que dependem de uma liderança eficaz e de trabalho em equipe.


Ver mais notícias sobre os temas:

Meditação

Trabalho e Emprego

Relacionamentos

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.