Meninas são o sexo forte quando nascem

Meninas são o sexo forte quando nascem
As mães também apresentam maior defesa antioxidante e menos danos às principais biomoléculas quando dão à luz a meninas.
[Imagem: Di Ernest F/Wikimedia/UGR]

Mulheres fortes

O mito do "sexo frágil" sucumbiu a mais um estudo, desta vez realizado por pesquisadores da Universidade de Granada (Espanha).

As meninas recém-nascidas apresentam um maior defesa antioxidante e menos estresse oxidativo em suas membranas celulares do que os meninos, além de maior atividade enzimática antioxidante.

Em outras palavras: as meninas têm uma melhor resposta ao estresse do que os meninos na etapa crucial do nascimento.

Além disso, as mães que dão à luz a meninas apresentam maior defesa antioxidante e menos danos às principais biomoléculas e um processo inflamatório menor durante o parto, fato também observado em meninas recém-nascidas com níveis mais baixos de interleucinas pró-inflamatórias.

Em outras palavras: dar à luz a uma menina é menos agressivo para a mãe do que dar à luz um menino.

Mais saudáveis no futuro

Os resultados mostram que as meninas lidam melhor do que os meninos com o estresse oxidativo e com a inflamação, uma vez que elas possuem sistemas enzimáticos mais desenvolvidos quando nascem, reduzindo assim os danos causados às células e melhorando o metabolismo celular.

Portanto, o sexo do recém-nascido é um fator que não só determina o desenvolvimento fisiológico do processo do parto, como também afeta o desenvolvimento de patologias futuras.

"Nossas descobertas abrem um novo campo entusiasmante de pesquisa, centrado no sexo do recém-nascido como um fator de risco para várias alterações funcionais, com um grande impacto sobre a expectativa de vida e o desenvolvimento de patologias futuras," escreveram os pesquisadores em seu artigo, publicado pela revista Pediatric Research.


Ver mais notícias sobre os temas:

Gênero

Gravidez

Saúde da Mulher

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.