Menor marcapassos do mundo passa nos primeiros testes

Menor marcapassos do mundo passa nos primeiros testes
O pequeno marcapassos é implantado através de um cateter inserido na veia femoral que chega até o interior do coração.
[Imagem: Universidade Emory/Medtronic]

Segurança e eficácia

O menor marcapassos cardíaco do mundo foi implantado com sucesso em 99,2% (719 de 725) dos pacientes que participaram de um ensaio clínico internacional para avaliar o aparelho.

Os resultados mostraram que o aparelho, chamado Micra TPS, que tem o tamanho de uma cápsula de vitamina, atingiu os níveis de segurança e eficácia com ampla margem.

Cerca de 96% dos pacientes voluntários não tiveram complicações sérias, um número significativamente melhor do que o que tem sido visto em ensaios com marcapassos convencionais.

Entre os outros 4%, as principais complicações incluíram lesões cardíacas (1,6%), complicações no local da virilha por onde o marcapassos foi inserido (0,7%) e questões de estimulação, derivadas do funcionamento do próprio aparelho (0,3%).

Marcapassos miniatura

O pequeno marcapassos é implantado através de um cateter inserido na veia femoral que chega até o interior do coração.

Uma vez posicionado, ele se liga firmemente ao tecido endocardial da parede do coração e dispara impulsos elétricos através de eletrodos sempre que detecta um ritmo cardíaco anormal.

Ao contrário dos estimuladores cardíacos convencionais, o novo aparelho não exige a utilização de fios, conhecidos como "ligações". Estas ligações podem se tornar fonte de complicações médicas graves, como infecções e lesões nas veias.

Outra diferença importante é que a implantação do micromarcapassos não requer uma incisão cirúrgica peitoral e não cria uma "bolsa" sob a pele.

Os resultados foram publicados no New England Journal of Medicine.


Ver mais notícias sobre os temas:

Implantes

Coração

Sistema Circulatório

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.