Menos de 30% do público-alvo busca vacina contra gripe

Desinteresse

A poucos dias do fim da campanha de vacinação contra a gripe, apenas 29,24% do público-alvo procurou a imunização.

Mulheres que tiveram filho em até 45 dias formam o público-alvo que mais buscou a imunização, com 40% de cobertura. Em seguida, os idosos (32,1% de cobertura), crianças de seis meses a cinco anos incompletos (29,8%), gestantes (27,56%) e trabalhadores da saúde (22,9%).

A meta do ministério era imunizar 80% do público-alvo até sexta-feira (22), quando a campanha será encerrada.

Contraindicação

Disponibilizada pelo Ministério da Saúde, a vacina é fabricada para proteger contra os três subtipos do vírus determinados pela Organização Mundial de Saúde para este ano (A/H1N1, A/H3N2 e influenza B).

Segundo o ministério, estudos demonstram que a vacinação pode reduzir entre 32% e 45% o número de hospitalizações por pneumonias e de 39% a 75% a mortalidade por complicações da influenza.

A vacina contra a gripe é contraindicada para pessoas com histórico de reação alérgica prévia em doses anteriores ou para aqueles que tenham alergia grave relacionada a ovo de galinha e seus derivados.

Desinteresse na vacina contra gripe

Apesar da contínua ampliação do público-alvo feita pelo Ministério da Saúde, o interesse pela vacina contra a gripe tem sido decrescente ao longo dos últimos anos.

Mais recentemente, pode ter contribuído para a nova queda o anúncio, feito por autoridades da Grã-Bretanha, que a vacina contra a gripe da estação atingiu meros 3% de "eficiência" naquele país.

Além disso, cientistas descobriram que os adultos têm gripe de verdade apenas a cada 5 anos - geralmente a gripe é confundida com resfriado.

Outro alerta recente feito por pesquisadores indica que o calendário de vacinação contra a gripe pode estar errado, sobretudo em países com grande extensão latitudinal, como o Brasil.


Ver mais notícias sobre os temas:

Vacinas

Vírus

Prevenção

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.