Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

26/08/2016

Nós sabemos que mídias sociais não são o mesmo que interação social

Redação do Diário da Saúde
Nós sabemos que mídias sociais não são o mesmo que interação social
"Há uma tendência a igualar o que fazemos nas mídias sociais com uma interação social, mas isso não reflete a experiência real das pessoas ao usá-las."
[Imagem: Paola Peralta/Wikimedia]

Sociabilidade real e virtual

Se você acredita que as pessoas estão usando as mídias sociais como um substituto para uma vida social real, diminua o nível das suas preocupações.

Ao acompanhar pessoas reais nesse vaivém entre a sociabilidade real e a pretensa sociabilidade virtual, o que se vê é que as pessoas são muito hábeis em discernir a diferença entre o uso das mídias sociais e uma interação social saudável.

"Há uma tendência a igualar o que fazemos nas mídias sociais com uma interação social, mas isso não reflete a experiência real das pessoas ao usá-las. Toda essa preocupação de que estaríamos buscando mais e mais interação social pelo Facebook não é verdadeira. A maioria das interações são face a face, e a maior parte do que consideramos interação social é face a face," destaca o professor Jeffrey Hall, da Universidade do Kansas (EUA).

De acordo com Hall, a mídia social é mais como observar os outros. Clicar no botão "Gostar" é semelhante a um aceno de cabeça. Não é uma interação social, é apenas um reconhecimento de que você está compartilhando espaço com outra pessoa. "Ficar de olho em outras pessoas compartilhando nossos espaços sociais é normal e parte do que significa ser humano," disse Hall.

Comportamento passivo e interação ativa

Para chegar a essas conclusões, a equipe de Hall realizou três experimentos.

O primeiro demonstra que, ao usar as mídias sociais, a maioria das pessoas está envolvida em comportamentos passivos que não consideramos como interação social - como navegar nos perfis dos outros e ler artigos de notícias. Conversar e comentar - coisas que nós sequer consideraríamos como interação social - tomam apenas 3,5% do tempo gasto nas mídias sociais.

O segundo experimento demonstra que a maior parte do que consideramos interação social com pessoas no nosso círculo íntimo de amigos acontece face a face. Quando a interação com essas pessoas próximas se dá através da mídia social, não é algo passivo, como a navegação ou clicar em "Gostei", mas sim o uso de funções de bate-papo ou mensagens instantâneas.

O terceiro estudo teve participantes contactados em momentos aleatórios ao longo do dia, para ver como eles estavam usando as mídias sociais ou fazendo interação social - 98% das interações sociais flagradas não estavam se dando através de mídias sociais.

"Embora muitas vezes as pessoas interajam socialmente e usem as mídias sociais no mesmo período de tempo, elas entendem que são coisas diferentes", disse Hall. "As pessoas sentem uma sensação de relacionamento quando estão interagindo face a face, mas usar as mídias sociais não as faz sentirem-se conectadas."

Os resultados foram publicados na revista New Media & Society.


Ver mais notícias sobre os temas:

Relacionamentos

Comportamento

Emoções

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Cientistas dizem ter descoberto cura definitiva para alcoolismo

Vacina contra dengue pode fazer mais mal que bem em alguns locais

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão

Carne vermelha todo dia faz mal? Especificamente que mal?