Ministério da Saúde atualiza situação do vírus Chikungunya

Até a primeira semana de outubro, o Ministério da Saúde já havia registrado 211 casos de Febre Chikungunya no Brasil.

Desses, 74 foram confirmados por critério laboratorial e 137 por critério clínico-epidemiológico.

Do total, são 38 casos importados de pessoas que viajaram para países com transmissão da doença, como República Dominicana, Haiti, Venezuela, Ilhas do Caribe e Guiana Francesa.

Os outros 173 foram diagnosticados em pessoas sem registro de viagem internacional para países onde ocorre a transmissão. Desses casos, chamados de autóctones, 17 foram registrados no município de Oiapoque (AP) e 156 no município de Feira de Santana (BA).

Caracterizada a transmissão sustentada de chikungunya em uma determinada área, com a confirmação laboratorial dos primeiros casos, o Ministério da Saúde recomenda que os demais casos sejam confirmados por critério clínico-epidemiológico, ou seja, dispensando-se o exame de laboratório.

Como parte das medidas para o combate à dengue e à Febre Chikungunya, o Governo Federal, em parceria com estados e municípios, realiza até o final de outubro, o Levantamento Rápido do Índice de Infestação de Aedes aegypti (LIRAa ).

O objetivo é identificar as larvas dos pernilongos Aedes Aegypti e Aedes Albopictus, onde estão os focos e os depósitos de água onde foi encontrado o maior número de focos de mosquito.

Também foram intensificadas as medidas de prevenção e identificação de casos. Nas regiões com registro da febre foram constituídas equipes, com técnicos das secretarias locais, para orientar a busca ativa de casos suspeitos e emitir alerta às unidades de saúde e às comunidades. E, para controle dos pernilongos transmissores da doença, são realizadas ações de bloqueio de casos suspeitos e eliminação de criadouros.

Febre Chikungunya

A Febre Chikungunya é uma doença causada por vírus do gênero Alphavirus, transmitida por pernilongos do gênero Aedes, sendo o Aedes Aegypti (transmissor da dengue) e o Aedes Albopictus os principais vetores.

Os sintomas da doença são febre alta, dor muscular e nas articulações, cefaleia e exantema e costumam durar de três a 10 dias.

A letalidade da Chikungunya, segundo a Opas, é rara, sendo menos frequente que nos casos de dengue.


Ver mais notícias sobre os temas:

Saúde Pública

Exames

Prevenção

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.