Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

19/05/2014

Mitos sobre a privacidade precisam ser eliminados

Com informações da WUSTL
Mitos sobre a privacidade precisam ser eliminados
A privacidade é importante "fundamentalmente porque informação é poder, e informação pessoal é poder pessoal". [Imagem: Thierry Gregorius]

Privacidade e poder pessoal

As discussões sobre privacidade têm seguido um padrão semelhante, e envolvido os mesmos tipos de argumentos.

É comum ouvir que a privacidade está morta, que as pessoas - especialmente as crianças - não se preocupam com privacidade, que as pessoas sem nada a esconder não têm nada a temer, e que a privacidade é ruim para os negócios.

"Essas alegações são comuns, mas são mitos," diz o professor Neil Richards, da Universidade de Washington (EUA).

"Esses mitos da privacidade não são apenas falsos, eles ficam no caminho do tipo de conversas importantes que precisamos ter sobre informações pessoais em uma era digital. Se continuarmos a acreditar nesses mitos da privacidade, se pensarmos sobre a privacidade como antiquada ou impossível, nossa revolução digital pode ficar totalmente sem regras, um resultado que vai enfraquecer todos, exceto os mais poderosos.

"Nosso entendimento sobre a privacidade deve evoluir; não podemos mais pensar sobre a privacidade como apenas qual é a parcela de nossas vidas que é completamente secreta, ou acerca da privacidade como esconder verdades ruins da sociedade. Como nós projetamos as tecnologias e os fluxos de dados terá efeitos de longo alcance para as estruturas sociais das sociedades digitais do futuro," disse Richards.

Em seu artigo intitulado "Quatro mitos da privacidade", Richards explica por que quatro dos mitos mais comuns de privacidade persistem - e como podemos evitá-los.

Mitos da privacidade

"Primeiro, a privacidade não pode estar morta porque ela lida com as regras que regem as informações pessoais; em uma era de informação pessoal, regras sobre como essa informação pode fluir são mais importantes do que nunca.

"Em segundo lugar, as pessoas, incluindo os jovens, preocupam-se profundamente com a privacidade, mas enfrentam escolhas limitadas e poucas informações sobre como participar no processamento dos seus dados.

"Em terceiro lugar, a privacidade não é apenas para pessoas com segredos obscuros; é para todos nós. Não apenas porque todos nós temos coisas que preferimos que não sejam divulgadas publicamente, mas fundamentalmente porque informação é poder, e informação pessoal é poder pessoal.

"Finalmente, a privacidade nem sempre é ruim para os negócios. Uma das melhores esperanças para a proteção significativa da privacidade no futuro é que as empresas compitam em privacidade, e há alguns indícios de que isso está começando a acontecer," afirma o pesquisador.

Ele destaca que eliminar os mitos é um primeiro passo essencial para falar sobre a privacidade de uma forma útil e construtiva.

"É somente quando nós eliminamos os mitos que podemos ter as conversas essenciais que precisamos ter sobre como a informação pessoal está moldando nossa sociedade, agora e no futuro. Nós podemos em última instância decidir que queremos menos privacidade, menos controle de nossas informações pessoais. Mas os mitos da privacidade estão impedindo essa conversa e essa tomada de decisão. Eliminar os mitos da privacidade é um primeiro passo importante para nos decidirmos como sociedade em que tipo de futuro digital queremos viver," concluiu ele.


Ver mais notícias sobre os temas:

Comportamento

Relacionamentos

Sentimentos

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

O que é melhor: Meditação ou Férias?

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão