Por que as mulheres são mais propensas a ter falta de ar?

As mulheres apresentam uma incidência maior de falta de ar depois de exercícios físicos intensos do que os homens.

Além disso, mulheres com enfisema pulmonar e insuficiência cardíaca têm sintomas respiratórios piores do que os dos homens.

Dennis Jensen e sua equipe da Universidade McGill, no Canadá, decidiram estudar essas ocorrências e descobrir uma explicação.

Sua conclusão é bem simples: os músculos pulmonares das mulheres precisam trabalhar mais do que os dos homens porque seus pulmões são menores.

Normalmente se considera que a massa corporal das mulheres também seria menor, o que explicaria pulmões menores.

Contudo, não é o que os resultados mostraram.

Mesmo comparando um homem e uma mulher de tamanhos iguais, os pulmões das mulheres eram menores, e suas vias aéreas mais estreitas.

Isso faz com que o diafragma, o músculo responsável pela função pulmonar, tenha que trabalhar mais nas mulheres para compensar o tamanho menor dos pulmões.

Falta de ar

A falta de ar pode ocorrer por causa de exercícios físicos ou ser um sintoma de alguma doença, como a bronquite.

"Tanto com saúde quanto doentes, as mulheres têm uma chance maior de mostrar sinais de falta de ar após atividade física do que os homens", disse o Dr. Jensen.

O estudo comparou 25 homens e 25 mulheres com idades entre 20 e 40 anos, se exercitando em uma bicicleta.

"As mulheres têm biologicamente pulmões menores, e elas têm que ativar mais os músculos respiratórios para movimentar uma certa quantidade de ar", disse Jensen.

Os pesquisadores pretendem agora investigar o impacto da obesidade sobre a falta de ar.


Ver mais notícias sobre os temas:

Saúde da Mulher

Atividades Físicas

Sistema Respiratório

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.