Música acalma bebê por mais tempo do que falar com ele

Bebês permanecem calmos o dobro do tempo quando ouvem música - sobretudo uma música desconhecida - do que quando ouvem uma voz tentando acalmá-los.

"Muitos estudos têm analisado a forma como cantar e falar afetam a atenção dos bebês, mas nós queríamos saber como eles afetam a autocontrole emocional de um bebê," justifica a professora Isabelle Peretz, da Universidade de Montreal (Canadá).

O experimentou envolveu trinta crianças saudáveis com idades entre seis e nove meses.

Música turca

Os pesquisadores tomaram uma série de medidas para assegurar que a reação das crianças à música não seria influenciada por outros fatores, como a presença da mãe ou o conhecimento prévio da música.

"O artista cantava músicas turcas, não ocidentais. Este é um ponto importante porque estudos mostraram que as canções que cantamos para as crianças têm uma gama específica de tons e ritmos," explicou Mariève Corbeil, responsável pelos experimentos. "Todos os pais sabem que não é muito comum cantar Rihanna para seu bebê!"

Em segundo lugar, os bebês não foram expostos a quaisquer outros estímulos. "Embora seus pais estivessem na sala, eles sentaram-se atrás dos bebês, de forma que suas expressões faciais não poderiam influenciar a criança," acrescentou Corbeil.

Bebês calminhos

Depois de ouvir a música turca, os bebês permaneceram calmos por uma média de nove minutos, contra pouco mais de 4,5 minutos com o consolo por voz.

Os pesquisadores então tiraram a prova colocando músicas em francês, o idioma nativo dos bebês e seus pais: a música francesa acalmou-os por uma média de seis minutos.


Ver mais notícias sobre os temas:

Cuidados com a Família

Comportamento

Diversão

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.