Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

18/03/2013

Música do cérebro alerta iminência de ataques epilépticos

Com informações do ISGTW
Música do cérebro alerta iminência de ataques epilépticos
Ouvir a melodia da sua mente, o ritmo do seu cérebro, a sinfonia das suas sinapses, as notas dos seus neurônios, deixou de ser licença poética.[Imagem: Petter Kallioinen/Wikimedia Commons]

Sinfonia das sinapses

Há pouco mais de um ano, neurocientistas descobriram que nosso cérebro toca música, alterando completamente a visão que se tinha da atividade neural.

É verdade que ouvir música faz o cérebro inteiro se iluminar, e a transformação das ondas cerebrais em música deu resultados muito práticos, permitindo descobrir, por exemplo, que o cérebro controla nossos movimentos usando ritmos musicais.

Assim, ouvir a melodia da sua mente, o ritmo do seu cérebro, a sinfonia das suas sinapses, as notas dos seus neurônios, deixou de ser licença poética - na verdade, criou-se uma área inteiramente nova de pesquisas, conhecida como sonificação, aplicada às neurociências.

Agora, pesquisadores italianos descobriram que os ritmos musicais do cérebro preveem com precisão a iminência de ataques epilépticos.

Sonificação de dados

Os sinais cerebrais são lidos através de exames de eletroencefalografia (EEG), colocando-se eletrodos no couro cabeludo de modo a medir as flutuações de tensão resultantes da corrente iônica que flui dentro dos neurônios do cérebro.

O resultado sai na forma de linhas em um gráfico, semelhantes às que se vê em um sismógrafo, que mede a intensidade de terremotos.

Por outro lado, usando uma ferramenta de sonificação de dados, as linhas e pontos dos gráficos são transformados em notas e tons musicais.

Isto permitiu que os Massimo Rizzi e seus colegas do Instituto Mario Negri previssem as crises epilépticas iminentes simplesmente detectando "desafinamentos" na música cerebral.

Usando supercomputadores para analisar a grande quantidade de dados geradas pelos exames, o grupo pretende agora isolar sons específicos, que eles chamam de marcadores, que indiquem a iminência dos ataques.

Segundo eles, é muito difícil encontrar os sinais característicos nos próprios gráficos, enquanto qualquer pessoa pode detectar uma nota errada ou uma variação na música sem qualquer treinamento.

Computação distribuída

O grande desafio para os estudos de sonificação é que a análise dos dados é intensiva em processamento, exigindo o uso de supercomputadores.

Graças ao aspecto promissor dessa área emergente no campo das neurociências, pesquisadores europeus lançaram uma plataforma de transmissão de dados de alta velocidade e computação distribuída que está permitindo que os médicos trabalhem os dados de suas próprias instituições.

Foi esta infraestrutura que permitiu a descoberta anunciada pelos pesquisadores italianos.

"Usando este portal, os pesquisadores trabalhando em hospitais poderão se beneficiar das técnicas de sonificação que implementamos sem ter que instalar qualquer software, e escondendo totalmente a complexidade de usar uma infraestrutura de computação distribuída," disse Domenico Vicinanza, um dos idealizadores do projeto.


Ver mais notícias sobre os temas:

Neurociências

Cérebro

Mente

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Cientistas dizem ter descoberto cura definitiva para alcoolismo

Vacina contra dengue pode fazer mais mal que bem em alguns locais

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão

Carne vermelha todo dia faz mal? Especificamente que mal?