Nós somos felizes e sabemos disso

Nós somos felizes e sabemos disso
Quanto maior a faixa etária, maior o nível de felicidade das pessoas.
[Imagem: WUSTL]

Perfil de felicidade

Se você acordou de bem com a vida e está com um sorriso estampado no rosto, não ache que você está sozinho.

Pesquisadores ficaram surpresos ao verificar o quanto as pessoas se dizem felizes - muito mais do que geralmente se estima.

O estudo, intitulado "Traçando o Perfil da Felicidade", analisou os níveis de felicidade de mais de 262 mil norte-americanos, ligando as respostas a milhares de atributos, incluindo dados demográficos, estilo de vida, consumo de mídia e outras características.

Veja algumas das conclusões do estudo.

O que me faz feliz

1. A população em geral é seis vezes mais propensa a dizer que é feliz do que dizer que é infeliz.

2. O dinheiro não compra a felicidade, mas parece ajudar. Várias características típicas de uma renda mais alta estão intimamente associadas com um maior nível de felicidade.

3. Quando se trata de emprego, é melhor estar desempregado do que ter um trabalho que você odeia. Estar insatisfeito no trabalho é muito mais associado com a infelicidade do que estar desempregado.

4. Uma boa saúde é um bom caminho andado para a felicidade. Pessoas que se dizem saudáveis são 11 vezes mais propensas a se acharem felizes, enquanto aquelas que relatam não ter boa saúde são 133% mais propensas a se dizerem infelizes.

5. A felicidade aumenta com a idade. A partir dos adultos de 30 anos a 34 anos, cada faixa etária torna-se progressivamente mais feliz do que a população em geral, com um pico de felicidade entre aqueles com 65 anos ou mais.


Ver mais notícias sobre os temas:

Felicidade

Sentimentos

Relacionamentos

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.