Nunca é tarde para parar de beber, comprova pesquisa

Nunca é tarde para parar de beber, comprova pesquisa

Cirrose relacionada ao álcool

Enquanto houver vida, há esperança, e nunca é tarde demais para parar de beber, mesmo nos mais graves casos de doenças do fígado relacionados ao consumo de álcool. As conclusões são de uma pesquisa feita na Universidade de Southampton, na Inglaterra.

Entretanto, o inconveniente é que até um quarto das pessoas com cirrose relacionada ao alcoolismo morrem antes de terem a chance de pararem de beber.

A cirrose relacionada ao consumo de bebidas alcoólicas desenvolve-se silenciosamente, mas normalmente apresenta um episódio de hemorragia interna que é frequentemente fatal.

Parar de beber é o mais importante

O estudo, liderado pelo Dr. Nick Sheron, descobriu que a abstinência de álcool é o fator chave nos prognósticos de longo prazo, mesmo depois que uma biópsia indica a presença de uma cirrose relativamente grave.

O objetivo do estudo, que foi publicado no exemplar deste mês do jornal Addiction, era determinar o efeito da gravidade da patologia da cirrose sobre a sobrevivência em pacientes com cirrose alcoólica.

Usando dados atualizados de mortalidade, o Dr. Sheron descobriu que continuar ou não bebendo foi o fator mais importante na determinação da sobrevivência de longo prazo dos pacientes com cirrose alcoólica.

Auxílio necessário

Ele descobriu que o grau de cirrose encontrada na biópsia do fígado teve menor importância na sobrevivência. A abstinência do álcool a partir de um mês depois do diagnóstico da cirrose, foi mais importante, com uma taxa de sobrevida de sete anos alcançando 72% dos pacientes que pararam de beber, contra 44% dos pacientes que continuaram consumindo álcool.

"Estas descobertas ilustram a significância crítica de se parar de beber na cirrose relacionada ao álcool. Mas, infelizmente, os serviços necessários para ajudar esses pacientes a ficarem longe do álcool simplesmente não existem em muitos lugares," comenta o Dr. Sheron.

Parar de beber, em qualquer situação

"No nível mais simples, a gestão das doenças do fígado relacionadas ao consumo de álcool tem dois componentes: primeiro de tudo é manter o paciente vivo por um tempo suficiente para que ele possa parar de beber e, segundo, maximizar suas chances de continuar a abstinência. Um terceiro e vital objetivo ao nível da saúde pública é evitar que as pessoas desenvolvam a cirrose alcoólica em primeiro lugar. Se nós quisermos reduzir a mortalidade por essas doenças do fígado é importante encorajar e auxiliar os pacientes para que eles parem de beber," conclui o médico.


Ver mais notícias sobre os temas:

Drogas Lícitas

Tabagismo

Vícios

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.