Psicólogos afirmam ter descoberto o que torna uma piada engraçada

Psicólogos afirmam ter descoberto o que torna uma piada engraçada
"Nós rimos quando o Gordo bate no Magro porque sabemos que o Magro não será realmente ferido."
[Imagem: Wikimedia]

O segredo das piadas

O que torna uma piada engraçada? Os filósofos têm-se feito esta pergunta há milênios, desde Platão.

Agora, dois psicólogos acreditam ter encontrado a resposta para o tempero que torna uma piada realmente engraçada.

Para eles, o humor vem de uma violação ou ameaça ao modo como as pessoas consideram que o mundo é ou deve ser, uma violação cultural - mas a violação ou ameaça deve ser benigna.

Teorias do humor

A maioria das teorias sobre o que torna as coisas engraçadas contêm propostas diretas e curtas, afirma Peter McGraw, da Universidade de Colorado, nos Estados Unidos, autor da atual pesquisa, em conjunto com seu colega Caleb Warren.

Freud achava que o humor vinha de uma liberação de tensão; outra teoria defende que o humor vem de um sentimento de superioridade, e ainda outra que a graça viria de uma incongruência.

Os pesquisadores, no entanto, argumentam que tudo isto está presente se você acidentalmente matar sua esposa - mas isto não seria de modo algum engraçado.

Por isto, eles acreditam que a situação poderia ser engraçada se ela também parecesse benigna.

Violações morais benignas

Para testar sua hipótese, os pesquisadores apresentaram várias situações a voluntários, sempre contrastando uma que parecia razoável e outra que parecia pouco provável ou errada - estas últimas foram muito mais capazes de fazer os voluntários rirem.

A outra parte do estudo testou se o fato de uma violação moral parecer benigna a torna mais engraçada. Em um experimento, os participantes leram sobre cenários em que uma igreja ou uma cooperativa de crédito faziam um sorteio de um carro para atrair novos membros.

Isto pareceu benigno para os voluntários que não frequentam igrejas, mas foi censurado pelos voluntários fiéis. O primeiro grupo achou engraçado uma igreja atrair fiéis dessa forma. Mas os já fiéis não gostaram da ideia e nem acharam graça dela.

Os pesquisadores acreditam que isso ocorreu porque os não-fiéis "não são particularmente comprometidos com a santidade da igreja", diz McGraw - assim, para eles, a violação moral parece ser benigna.

Piadas culturais

Outro experimento confirmou que as pessoas que têm maior distanciamento psicológico de uma violação moral são mais susceptíveis a acharem-na divertida.

"Nós rimos quando o Gordo bate no Magro porque sabemos que o Magro não será realmente ferido," disse McGraw. "É uma violação das normas sociais. Você não bate nas pessoas, menos ainda em um amigo. Mas está tudo bem, porque não é real."

McGraw acredita que sua teoria funciona também para outros tipos de humor, como trocadilhos, que quebram uma convenção ou regra linguística, mas aderem a uma outra regra, de modo que a frase ainda faz sentido.

A teoria também explicaria porque dramas e filmes de ação saem-se melhor fora de seus países de origem do que as comédias. "É difícil encontrar uma comédia que seja engraçada em várias culturas, pois as maneiras como as violações podem parecer benignas diferem de uma cultura para outra. A comédia que é engraçada em várias culturas tende a envolver um monte de humor físico. As violações são claras, não importa onde você está," diz ele.

A pesquisa foi publicada na revista Psychological Science.


Ver mais notícias sobre os temas:

Emoções

Educação

Mente

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2017 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.