Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

06/05/2009

Olhos e ouvidos biônicos serão possíveis com novo super chip

Site Inovação Tecnológica
Processador com 167 núcleos é super-rápido e ultraminiaturizado
Este é um dos protótipos do novo super chip AsAP, com 167 núcleos e fino o suficiente para ser usado em implantes na retina e no ouvido.[Imagem: Baas Lab]

Engenheiros da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, comprovaram o funcionamento de uma nova arquitetura de processadores que reúne algumas das mais interessantes características quando se fala de microprocessadores e chips em geral: ele é ultrapequeno, totalmente reprogramável, pode ser configurado para executar vários tipos de aplicações e consome pouquíssima energia.

Processador de múltiplos núcleos

O novo chip foi batizado de AsAP - Asynchronous Array of Simple Processors, conjunto assíncrono de processadores simples. Com nada menos do que 167 núcleos, o novo processador funcionou sem nenhum travamento, segundo os pesquisadores.

Como ele foi construído com a mesma tecnologia atualmente utilizada pela indústria eletrônica, o projeto poderá ser facilmente levado do laboratório para a indústria.

O processador de múltiplos núcleos foi projetado para ser utilizado no processamento de sinais digitais (DSP), com aplicações desde telefones celulares, tocadores de MP3 e equipamentos de vídeo, até equipamentos médicos de ultrassom, ressonância magnética e na criação de uma nova geração de implantes biônicos.

75 vezes menos energia

A frequência (clock) máxima de funcionamento do chip foi de 1,2 GHz, mas ele pode funcionar num ritmo menor, o que reduz dramaticamente seu consumo de energia. Vinte desses chips funcionando juntos podem efetuar meio trilhão de operações de ponto flutuante por segundo usando apenas 7 watts de energia.

"Um chip desses alimentado por uma bateria poderá funcionar até 75 vezes mais do que os chips de processamento digital disponíveis comercialmente," diz o engenheiro Bevan Baas, coordenador da equipe que projetou o novo chip.

Ainda em comparação com os DSPs atuais, o chip de 167 núcleos pode alcançar uma velocidade até 10 vezes maior, mesmo tendo apenas uma fração do tamanho. Construído com tecnologia de 65 nanômetros, o chip é um quadrado com cerca de 6 milímetros de lado.

Olhos e ouvidos biônicos

Para aplicações que requeiram menor poder de processamento, o chip poderá se tornar ainda menor. Isto permitirá seu uso no desenvolvimento de implantes para os olhos e os ouvidos, criando próteses impossíveis de serem fabricadas hoje.

Atualmente, os implantes para a retina ainda são grandes ou exigem a alimentação externa, tornando seu uso corrente quase impraticável. A captura e o processamento de imagens é justamente o elemento forte de um chip DSP como o AsAP.

Além disso, as possibilidades de sua miniaturização não foram esgotadas, uma vez que a indústria de semicondutores já está com data marcada para começar a fabricar processadores com tecnologia de 28 nanômetros.

Sobre o estágio atual dos implantes biônicos, veja Minitelescópio implantável no olho ajuda pacientes com problemas de visão e Amplificador visual é nova alternativa para olho biônico.

Fonte: Processador com 167 núcleos permitirá criação de olhos biônicos


Ver mais notícias sobre os temas:

Implantes

Olhos e Visão

Próteses

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Chá verde melhora conectividade do cérebro

Terapias contra artrite reumatoide podem causar diabetes, alerta médica

Vaginas produzidas em laboratório são implantadas em pacientes

Xixi com cloro da piscina faz mal mesmo

Brasil desvaloriza parto normal e sagra-se campeão mundial de cesáreas