OMS teme disseminação internacional de ebola

OMS teme disseminação internacional de ebola
O vírus Ebola, que tem uma estrutura filamentosa, é enorme, medindo 14 micrômetros de comprimento e 80 nanômetros de diâmetro.
[Imagem: Wikipedia]

A Organização Mundial de Saúde (OMS) disse considerar necessário que sejam tomadas "medidas drásticas" para conter o surto de ebola na África Ocidental.

Até agora houve mais de 600 casos e cerca de 60% das pessoas infectadas com o vírus morreram.

Este que já é o maior surto de ebola em números de casos e mortes, começou na República da Guiné e se espalhou para as vizinhas Serra Leoa e Libéria.

A OMS teme a possibilidade de "propagação internacional" da doença.

"Este não é mais um surto específico de cada país, mas a crise de uma sub-regional e é preciso uma ação firme," afirmou o diretor regional da OMS para a África, Luis Sambo. "A OMS está seriamente preocupada com a propagação transfronteiriça em curso para os países vizinhos, bem como o potencial de disseminação internacional."

A organização Médicos Sem Fronteiras (MSF) alertou que o surto de ebola está fora de controle. A entidade teme que a epidemia se alastre mais ainda caso não haja uma forte resposta internacional.

Ebola

A febre hemorrágica ebola é causada pelo vírus ebola e não tem vacina ou cura.

A doença é transmitida pelo contato com os fluidos de pessoas ou animais infectados, como urina, suor e sangue, mas sua capacidade de contágio é considerado "moderado" pelos especialistas.

Os sintomas incluem febre alta, sangramento e danos no sistema nervoso central.

A taxa de mortalidade do ebola pode atingir 90% dos casos. O período de incubação é de dois a 21 dias.

Nunca houve casos humanos fora de África, mas já houve casos em macacos nos Estados Unidos e na Itália.


Ver mais notícias sobre os temas:

Vírus

Infecções

Epidemias

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.