ONU cria missão de emergência para combater ebola

A Organização das Nações Unidas (ONU) anunciou a criação de uma missão de emergência para combater o ebola no oeste da África.

O anúncio foi feito logo depois da decisão inédita em que o Conselho de Segurança da entidade aprovou por unanimidade uma resolução declarando o ebola uma ameaça à paz e à segurança internacionais.

A resolução pede que todos os países forneçam assistência urgente aos países afetados pela epidemia, incluindo a suspensão das restrições impostas às viagens a esses países, alegando que essas restrições estão prejudicando os esforços para combater o ebola.

De acordo com secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, a missão de emergência recém-formada terá como desafio aumentar em 20 vezes a assistência que já vem sendo fornecida aos países africanos e terá como linhas prioritárias deter o avanço da epidemia, atender aos infectados, garantir a prestação de serviços básicos e investir em infraestrutura sanitária para prevenir futuros surtos do vírus.

Ban Ki-moon reiterou que será necessário investir U$ 1 bilhão para executar a missão, durante seis meses - período previsto para o cumprimento do plano.

"Em nossa estimativa mais otimista, precisamos aumentar 20 vezes a atenção dispensada ao oeste africano para neutralizar o ebola", disse o secretário. "Decidimos estabelecer a missão de saúde de emergência das Nações Unidas, combinando a perspectiva estratégica da Organização Mundial da Saúde [OMS] com uma capacidade logística operativa eficaz".

A diretora-geral da OMS, Margaret Chan, falou da importância da missão, e salientou que "nenhum de nós, que realizamos tarefas de conter vírus e epidemias, experimentamos até agora uma situação de emergência nesta escala, com tamanha magnitude e sofrimento".

Mais de 2,6 mil pessoas morreram no Oeste africano por causa do ebola, principalmente na Libéria, Guiné-Conacri e em Serra Leoa.


Ver mais notícias sobre os temas:

Epidemias

Vírus

Sistema Imunológico

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.