Para não desperdiçar vacinas contra gripe, São Paulo amplia público-alvo

Com o crescente desinteresse da população pela vacina contra a gripe, o governo do Estado de São Paulo viu-se obrigado a ampliar o público-alvo.

Repetindo o ocorrido nos últimos anos, a campanha nacional de vacinação contra a gripe chegou ao fim alcançando apenas metade da meta.

Apesar de todo o esforço de mídia realizado pelo governo, o grupo que menos se vacinou em todo o Brasil neste ano foram justamente os profissionais de saúde, a exemplo do que já vem ocorrendo em países da Europa, como a Suíça.

Ampliação do público-alvo

Com o encalhe das vacinas, a Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo decidiu então ampliar a campanha de vacinação contra a gripe para policiais militares, civis e técnicos científicos, professores e funcionários da educação da rede pública e particular do ensino fundamental, além dos carteiros.

A expectativa que isso aumente o público das vacinas em cerca de 450 mil pessoas.

A partir desta segunda-feira, 9 de junho, o novo público-alvo poderá receber a vacina contra o vírus Influenza em qualquer posto de saúde do Estado.

Segundo a Secretaria, o objetivo é imunizar principalmente os policiais antes da Copa do Mundo.

Além de imunizar a população contra a gripe A H1N1, a vacina produzida pelo Instituto Butantan também protege a população contra outros dois tipos do vírus influenza: influenza A H3N2 e B.


Ver mais notícias sobre os temas:

Saúde Pública

Vacinas

Prevenção

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.