Paulistanos não seguem regras de boa alimentação

Paulistanos não seguem regras de boa alimentação
O Guia Alimentar para a População Brasileira mostra as porções recomendadas de grupos de alimentos que se deve consumir diariamente para reduzir o risco de doenças crônicas não-transmissíveis, como as cardiovasculares e o câncer.
[Imagem: Ministério da Saúde]

Qualidade da alimentação

Os paulistanos estão comendo mal, indica pesquisa da Faculdade de Saúde Pública da USP.

Uma realidade preocupante, uma vez que outros estudos já indicam que um terço dos paulistanos têm elevado risco cardíaco.

De uma amostra de 725 pessoas, em média, 95% consomem menos frutas e sucos que o recomendado pelo Guia Alimentar para a População Brasileira, elaborado pelo Ministério da Saúde.

Os números são preocupantes também para o grupo "cereais, tubérculos, raízes e derivados", com 88%. Mas o pior índice está em "leite e derivados", em falta na dieta de 100% da amostra avaliada.

Alimentação por idade

Os adolescentes são o grupo com maior defasagem. Eles consomem três vezes menos frutas, legumes e verduras que os idosos.

"Essa é uma fase da vida em que os hábitos alimentares ainda estão em formação. Quer dizer que, no futuro, os jovens podem tornar-se adultos com propensões a desenvolver doenças crônicas", alerta o nutricionista Eliseu Verly Junior, responsável pelo estudo, realizado em conjunto com a professora Dirce Maria Lobo Marchioni.

Os dados indicam que 83% da população ingere menos açúcares e doces do que deveria. Para legumes e verduras, o número é de 72%. Feijões, 43%. Estão mais próximos do adequado carnes e ovos, com 11%.

Na análise por renda e escolaridade, notou-se uma diferença grande apenas em legumes e verduras. Entre os mais pobres com menor escolaridade, 92% consumiam menos que o recomendado, enquanto a ocorrência é de 54% entre os mais ricos.

Em relação ao sexo, foi observada uma maior proporção de homens que não atingem a recomendação dos grupos de "frutas e sucos naturais" e "verduras e legumes", em comparação as mulheres.

Guia Alimentar para a População Brasileira

O Guia Alimentar para a População Brasileira mostra as porções recomendadas de grupos de alimentos que se deve consumir diariamente para reduzir o risco de doenças crônicas não-transmissíveis, como as cardiovasculares e o câncer.

Entre as fontes, estão relatórios da Organização Mundial de Saúde (OMS), feitos com base em pesquisas da área de nutrição e saúde realizadas no mundo tudo.

Veja abaixo as principais recomendações do Guia.

Para ter uma referência sobre o que significa cada uma das porções, veja a tabela ao final da reportagem.

Diretriz Recomendação por dia Objetivos
1
Alimentos saudáveis e as refeições
 
-
 Estimular o convívio familiar nas refeições cotidianas.

 Desestimular "pular" as refeições

 Valorizar todos os grupos de alimentos para refeições variadas e coloridas
 
2 Cereais, tubérculos e raízes 6 porções
(confira alguns exemplos de porção)

 Orientar o consumo de alimentos ricos em carboidratos complexos (amido), como cereais de preferência integrais, tubérculos e raízes, para garantir 45% a 65% da energia total diária de alimentação.

 Proteger as pessoas contra o excesso de peso e obesidade, alguns tipos de câncer, pois uma alimentação rica em carboidratos possivelmente terá menor quantidade de gorduras e menos açúcar.
 
3 Frutas, legumes e verduras 3 porções
(confira alguns exemplos de porção)

 Diminuir o risco de desenvolvimento de doenças crônicas não transmissíveis e manter o peso adequado, por meio do consumo de pelo menos 400 g/dia de frutas, legumes e verduras.

 Aumentar a resistência contra infecções por meio do consumo de frutas, legumes e verduras que são fonte da maior parte de vitaminas e minerais necessários ao organismo.

 Informar sobre a grande variedade desses alimentos disponíveis em todas as regiões do País e incentivar diferentes modos de preparo destes alimentos para valorizar o sabor.
 
4 Feijões e outros alimentos vegetais ricos em proteínas 1 porção
(confira alguns exemplos de porção)

 Orientar e estimular o consumo de feijão, que quando combinado com o arroz, na proporção de 1 parte de feijão para 2 partes de arroz, fornecem uma fonte completa de proteínas para o ser humano.

 Aumentar a resistência contra doenças nutricionais, já que os feijões contêm carboidratos complexos e é rico em fibra alimentar, vitaminas do complexo B, ferro, cálcio e outros minerais.
 
5 Leite e derivados, carnes e ovos
3 porções de leite e derivados
(confira alguns exemplos de porção)



1 porção de carne e ovos
(confira alguns exemplos de porção)
 

 Garantir uma alimentação saudável por meio dos alimentos de origem animal que são nutritivos, desde que consumidos com moderação.

 Orientar o consumo de carnes e peixes já que são boas fontes de todos os aminoácidos essenciais, substância química que compõe as proteínas, necessárias para o crescimento e a manutenção do corpo humano, além de serem fontes importantes de ferro e vitamina B12.

 Orientar o consumo de leite como uma fonte importante de riboflavina (B2) e principal fonte de cálcio na alimentação.
 
6 Gorduras, açucares e sal 1 porção
(confira alguns exemplos de porção)

 Orientar quanto a diminuição redução do consumo de gorduras e açúcares ,e sal (máximo de 5g/dia) para diminuir o risco de ocorrência de obesidade, hipertensão arterial, diabetes, colesterol e doenças cardiovasculares.
 
7 Água 2 litros
 Incentivar o consumo de água independente dos outros líquidos já que a mesma desempenha papel fundamental na regulação de muitas funções vitais ao organismo.
 

Quanto é uma porção?

Alimento Recomendação por dia Quanto é uma porção?
Cereais, tubérculos e raízes 6 porções
Arroz (4 colheres de sopa) ou pão francês (1 unidade) ou macarrão (3 e ½ colheres de sopa) ou mandioca cozida (3 colheres de sopa) ou milho (1 espiga) oubatata inglesa (1 e ½ unidade ou mandioca (3 colheres de sopa).
 
Frutas, legumes e verduras 3 porções de legumes e verduras
Cenoura (1 colher de servir) ou Beterraba cozida (3 fatias) ou Abobrinha cozida (3 colheres de sopa) ou Acelga (2 e ½ colheres de sopa) ou Agrião (22 ramos) ou Alface (15 folhas) ou tomate (4 fatias).
 
3 porções de frutas
Banana ( 1 unidade) ou Melancia (2 fatias) ouLaranja (1 unidade) ou Mamão (1 fatia) ou Maça (1 unidade)
 
Feijões e outros alimentos vegetais ricos em proteínas 1 porção
Feijão cozido (1 concha) ou Lentilha (2 colheres de sopa) ouErvilha seca (2 e ½ colheres de sopa) ou Grão-de-bico (1 e ½ colheres de sopa) ou Soja (1 colher de servir).
 
Leite e derivados, carnes e ovos 3 porções
Leite integral (1 copo de requeijão) ou Iogurte desnatado (1 copo de requeijão) ouQueijo tipo minas (1 e ½ fatia).
 
1 porção
Carne cozida (4 pedaços pequenos) ou Sardinha em conserva (1 unidade média) ou Frango (1 sobrecoxa grande) ouOvo cozido (2 unidades) ou Peixe cozido (1 unidade média).
 
Gorduras, açucares e sal 1 porção
Margarinas (1/2 colher de sopa) ou Manteiga (1/2 colher de sopa) ouóleos vegetais (1 colher de sopa) ouaçúcar (1 colher de sopa) ou mel (2 e ½ colheres de sopa) ougeléia de fruta (1 colher de sopa).
 
Água 2 litros
6 a 8 copos de água
 

Conheça a versão integral do Guia Alimentar para a População Brasileira, disponível em arquivo PDF.


Ver mais notícias sobre os temas:

Alimentação e Nutrição

Dietas e Emagrecimento

Qualidade de Vida

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.