Pensar analiticamente diminui crença religiosa

Pensar analiticamente diminui crença religiosa
Olhar durante 30 segundos para O Pensador aciona os "canais" de pensamento analítico, aparentemente mascarando a influência da intuição.
[Imagem: Wikipedia]

Fé versus compreensão

O pensamento analítico pode diminuir a crença religiosa, mesmo nos crentes mais devotos.

O pensamento analítico é a forma de pensamento que usa a lógica indutiva ou dedutiva para compreender ou explicar as coisas através da decomposição em partes mais simples.

A outra forma de pensamento é a intuitiva, que resiste a qualquer tentativa de descrição pelo pensamento analítico - ela é fundamentalmente fruto da intuição.

O estudo, publicado hoje na revista Science, conclui que o pensamento analítico aumenta a descrença tanto entre crentes quanto entre céticos.

Questões de espiritualidade

"Nosso objetivo era explorar a questão fundamental do por que as pessoas acreditam em Deus em graus diferentes," disse Will Gervais, da Universidade da Colúmbia Britânica, no Canadá.

"As questões de espiritualidade pessoais parecem ser influenciadas por uma combinação complexa de fatores, e estes novos resultados sugerem que o sistema cognitivo relacionado aos pensamentos analíticos é um fator que pode influenciar a descrença," afirmou.

Os pesquisadores usaram tarefas de resolução de problemas, leitura de textos em fontes difíceis de ler, ou sugestões que induzem ao pensamento analítico, como observar a escultura O Pensador, de Rodin - tudo para induzir o pensamento analítico nos participantes.

Um outro conjunto similar foi apresentado de forma a induzir o pensamento intuitivo no grupo controle - a escultura mostrada foi o Discóbolo, de Míron.

Eles então avaliaram os níveis de crença religiosa dos participantes usando várias medições baseadas no auto-relato sobre as próprias crenças.

Religião e intuição

Os resultados mostraram que a crença religiosa diminui quando os participantes se envolvem em tarefas de análise, em comparação com os participantes que se envolveram em tarefas que não envolvem o pensamento analítico.

"Nosso estudo se baseia em pesquisas anteriores, que associaram as crenças religiosas ao pensamento intuitivo," disse o professor Ara Norenzayan. "Nossos resultados sugerem que a ativação do sistema cognitivo analítico no cérebro pode minar o apoio intuitivo para a crença religiosa, pelo menos temporariamente."

Gervais contou que agora planeja fazer novos estudos para verificar se o aumento da descrença religiosa é temporária ou de longa duração, e como os resultados se aplicam a culturas não-ocidentais.

Dados recentes sugerem que a maioria da população mundial acredita em Deus, embora ateus e agnósticos já se contem na casa das centenas de milhões, disse Norenzayan.


Ver mais notícias sobre os temas:

Espiritualidade

Mente

Educação

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.