Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

28/07/2011

A anestesia é perigosa?

Dr. André Gottschalk

Mudanças nos pacientes

Em termos puramente numéricos, o número de mortes associadas à anestesia aumentou novamente.

As razões para isso são o aumento desproporcional no número de pacientes mais velhos e com múltiplas morbidades, e procedimentos cirúrgicos que teriam sido impensáveis no passado.

Este é o resultado de uma revisão seletiva da literatura médica, realizada pelo grupo do Dr. André Gottschalk, do Hospital Universitário Bochum, na Alemanha.

Mortes por anestesia

Na década de 1940, a mortalidade relacionada à anestesia foi 6,4/10.000.

Com a introdução de normas de segurança, como a oximetria de pulso e a capnometria, a taxa foi reduzida para 0,4/100.000 por final de 1980.

Este valor ainda se aplica para pacientes sem doenças sistêmicas relevantes.

Entretanto, a mortalidade aumentou em pacientes com comorbidades relevantes, atingindo 0,69/100.000.

Essas comorbidades incluem a insuficiência cardíaca, angina, insuficiência renal crônica e hipertensão maligna grave.

Novos padrões

Devido a melhorias nas normas de segurança, os pacientes portadores das comorbidades agora têm sido submetidos a cirurgias, algo que seria impensável no passado.

Outro fator que explica o aumento da mortalidade relacionada à anestesia é o fato de que a proporção de pacientes que têm mais de 65 anos [na Alemanha] subiu de 28,8% em 2005 para 40,9% em 2009.


Ver mais notícias sobre os temas:

Cirurgias

Medicamentos

Exames

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

O que é melhor: Meditação ou Férias?

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão