Pesquisas sobre obesidade devem focar as soluções e não as causas

Conhecer as causas não traz as soluções

A maioria das atuais pesquisas sobre a obesidade não está ajudando a encontrar soluções para o problema, que é crescente em nível internacional. O alerta é do professor australiano Boyd Swinburn, da Universidade Deakin.

Segundo Boyd, os financiamentos das pesquisas seriam melhor aplicados se fossem dirigidos para a busca de possíveis soluções, em vez de continuar a detectar o que está causando o aumento da obesidade.

"Pode parecer contraintuitivo, mas saber as causas e os mecanismos do ganho de peso nem sempre ajuda na identificação das soluções," diz o professor.

Mudanças ambientais e comportamentais

"Para uma pessoa em particular, nós sabemos que o ganho de peso ao longo do tempo inclui ambientes obesogênicos, predisposição genética e aumento da idade - nenhuma das quais pode ser influenciada pelo profissional de saúde que está tentando ajudar a pessoa a perder peso," explica Boyd.

Com relação à população como um todo, os motores de natureza comercial que direcionam o sobre-consumo de comida não podem ser revertidos pela sociedade civil porque não há ganhos comerciais para que a indústria alimentícia promova a ingestão de comidas com menos calorias.

"A questão fundamental é que nós precisamos reorientar nossas pesquisas rumo à avaliação de potenciais soluções, em vez de identificar cada vez melhor a fonte do problema. O enfoque mais promissor para os indivíduos e para a população envolverá a identificação do conjunto adequados de regras e políticas que levarão a mudanças ambientais e comportamentais sustentáveis," diz o pesquisador.

Regras de comportamento

A identificação de soluções para o problema da obesidade exige pesquisas especificamente orientadas para a busca de soluções e, infelizmente, a maioria das atuais pesquisas sobre a obesidade é orientada para o problema.

Segundo o pesquisador, as melhores soluções para lidar com a obesidade, que produzem os melhores resultados, parecem ser aquelas baseadas em regras.

"Para os indivíduos com excesso de peso, assim que eles aderem a um conjunto de regras de dietas que resulte em uma ingestão menor de calorias, não parece importar quais alimentos são incluídos ou excluídos. É por isso que vários tipos de dietas que não se relacionam com as causas do ganho de peso podem produzir a perda de peso," diz o cientista.

No tocante à população, as regras também parecem fazer mais sentido: educação, guias de conduta, autorregulamentação da indústria e anúncios governamentais na TV parecem não ter muita influência e é necessário adotar políticas mais fortes.


Ver mais notícias sobre os temas:

Obesidade

Alimentação e Nutrição

Atividades Físicas

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.