Pílula da Juventude eleva expectativa de vida para 110 anos

Pílula da Juventude eleva expectativa de vida para 110 anos
Um composto químico descoberto na Ilha de Páscoa aumentou o tempo de vida de camundongos em até 38%, o que equivaleria a aumentar a expectativa de vida de um homem de 80 para 110 anos.
[Imagem: Wikipedia]

Outro mistério da Ilha de Páscoa

As gigantescas estátuas de pedra da Ilha de Páscoa continuam impassíveis, há 13 séculos, esperando por alguém que consiga explicar como elas foram construídas e como foram carregadas por uma ilha quase sem recursos naturais.

Mas agora a ilha começa a revelar um outro mistério: um composto químico, encontrado no solo da ilha, pode se transformar em uma pílula da juventude, capaz de aumentar o tempo de vida entre 28% e 38%. Em uma pessoa com expectativa de vida de 80 anos, isso significa que ela poderia atingir uma idade entre 102 e 110 anos.

Pílula da Juventude

Pesquisadores da Universidade do Texas (EUA) conseguiram sintetizar o composto, que foi batizado de rapamicina - em homenagem ao nome polinésio da Ilha de Páscoa, que é Rapa Nui. A pesquisa foi publicada no exemplar desta quinta-feira da revista Nature.

A "pílula da juventude" por enquanto foi testada apenas em camundongos, resultando em um aumento do tempo de vida dos animais entre 28 e 38%. Em termos humanos, isso seria mais do que o ganho esperado em anos extras de vida se todas as doenças do coração e o câncer pudessem ser evitados e curados.

A rapamicina foi dada aos camundongos em um período de suas vidas que equivaleria a dar o medicamento a um humano com 60 anos de idade.

"Eu estou na pesquisa sobre o envelhecimento há 35 anos e vi muitas intervenções chamadas 'antienvelhecimento' ao longo desses anos que nunca tiveram sucesso," diz o Dr. Arlan G. Richardson, um dos envolvidos na descoberta.

"Eu nunca pensei que iria encontrar uma pílula antienvelhecimento para as pessoas ao longo de toda a minha vida; entretanto, a rapamicina está se mostrando muito promissora em fazer exatamente isso," diz ele.

Rapamicina

A rapamicina foi descoberta nos anos 1970. O composto chamou a atenção por suas propriedades antifúngicas e mais tarde passou a ser usada para evitar rejeição de órgãos transplantados. Ela é também usada em stents implantados em pacientes cardíacos durante cirurgias de angioplastia para manter as coronárias abertas. E atualmente está sendo estudada para uso no combate ao câncer.

Agora os cientistas descobriram que a adição da rapamicina à dieta de camundongos velhos aumenta seu tempo de vida significativamente. Os testes foram repetidos em três centros de pesquisas e os resultados foram os mesmos em todos eles.

Formas de evitar o envelhecimento

Os pesquisadores do envelhecimento atualmente conhecem apenas duas formas de aumentar o tempo de vida em mamíferos: a restrição calórica e a manipulação genética. A rapamicina aparentemente desabilita as mesmas rotas moleculares sobre as quais age a restrição da ingestão de alimentos calóricos.

Ela faz isto por meio de uma proteína chamada mTOR, que controla vários processos no metabolismo das células e que responde ao estresse.

Microencapsulamento

A rapamicina não é estável o suficiente para ser utilizada como alimento, não conseguindo superar o trato digestivo para atingir a corrente sanguínea.

Para superar essa deficiência, os cientistas utilizaram uma técnica chamada microencapsulamento, um processo por meio do qual um composto químico recebe um revestimento na forma de micropartículas, permitindo que rapamicina passe pelo estômago, sendo liberada no intestino, de onde ela atinge a corrente sanguínea.

Aumento do tempo de vida

O objetivo original era começar a alimentar os camundongos com 4 meses de idade, mas por causa da demora no desenvolvimento do microencapsulamento, os camundongos só começaram a receber o composto quando tinham 20 meses de idade - o equivalente a um homem com 60 anos de idade.

"Eu acreditava que não iria funcionar porque os camundongos eram muito velhos quando o tratamento começou," diz o Dr. Richardson. "A maioria das pesquisas indica que a restrição calórica não funciona quando adotada em animais muito velhos. O fato de que a rapamicina aumentou o tempo de vida de camundongos relativamente velhos foi totalmente inesperado."

Efeitos colaterais graves

Agora começarão os estudos com vistas a testar a rapamicina em humanos visando o aumento da longevidade. Uma pílula da juventude que possa ser comprada na farmácia, contudo, não deverá estar disponível em pouco tempo. Isso porque, em seu uso médico atual, a rapamicina apresenta uma série de efeitos colaterais graves.

Contudo, a pesquisa poderá apontar novas formas de atuação sobre as rotas químicas do corpo humano que levem ao longamente sonhado objetivo de uma vida mais longa e saudável. Nesta semana, outra pesquisa revelou que os morcegos podem ter uma dica para uma vida mais longa para os humanos - Cientistas descobrem uma "fonte da juventude" em caverna de morcegos


Ver mais notícias sobre os temas:

Terceira Idade

Cirurgias Plásticas

Qualidade de Vida

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.