Anticoncepcionais e AVC: cuidado com outros fatores

Pílulas anticoncepcionais e AVC: cuidado com outros fatores
Há uma grande expectativa pelo desenvolvimento de um anticoncepcional sem hormônios.
[Imagem: Ceridwen/Wikimedia Commons]

Anticoncepcionais e AVC

As pílulas anticoncepcionais causam um pequeno, mas significativo, aumento no risco do tipo mais comum de acidente vascular cerebral.

Para mulheres jovens e saudáveis, sem quaisquer fatores de risco para AVC, o risco de acidente vascular cerebral associado com os contraceptivos orais existe, mas é muito pequeno.

Mas em mulheres com outros fatores de risco para o AVC, "o risco parece ser maior e, na maioria dos casos, o uso de contraceptivos orais deve ser desencorajado," escreve a equipe liderada pela Dra Marisa McGinley, da Universidade Loyola (EUA), na revista médica Neurology MedLink.

Fatores de risco para AVC

Para as mulheres que tomam pílulas anticoncepcionais e também fumam, têm pressão arterial elevada ou têm um histórico de enxaqueca, o risco de acidente vascular cerebral é significativamente maior, dizem os pesquisadores.

"Essas mulheres devem ser desencorajadas de usar contraceptivos orais," escrevem eles.

As pílulas apenas com estrogênio, ou este combinado com a progesterona, aumentam o risco de acidente vascular cerebral isquêmico em 40%; quanto maior a dose, maior o risco, concluem.

Estrogênio e derrames

Derrames associados às pílulas anticoncepcionais foram relatados pela primeira vez em 1962. As primeiras versões da pílula continham doses elevadas de estrogênio sintético, na faixa dos 150 microgramas.

A maioria das pílulas anticoncepcionais atuais contêm entre 20 e 35 microgramas - nenhuma contém mais do que 50 microgramas de estrogênio sintético.

Esses contraceptivos orais aumentam o risco de acidentes vasculares cerebrais isquêmicos, que são causados por coágulos sanguíneos e representam cerca de 85% de todos os AVCs. Na população em geral, os contraceptivos orais não parecem aumentar o risco de acidentes vasculares cerebrais hemorrágicos, que são causados por hemorragias no cérebro.


Ver mais notícias sobre os temas:

Saúde da Mulher

Sexualidade

Cérebro

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.