Planta brasileira tem composto anti-inflamatório

Planta brasileira tem composto anti-inflamatório
Substância encontrada na planta Baccharis retusa DC. tem efeito similar ao da dexametasona, principal droga usada no tratamento de asma.
[Imagem: João Henrique Ghilardi Lago]

Família medicinal

Pesquisadores da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) isolaram e caracterizaram um composto bioativo de uma planta encontrada na região da Serra da Mantiqueira que tem propriedades anti-inflamatória, antimicrobiana e antiparasitária.

"Observamos que a atividade anti-inflamatória da sakuranetina é muito similar à da dexametasona, o principal corticoide usado hoje no tratamento de processos alérgicos e inflamatórios graves", conta o professor João Henrique Ghilardi Lago.

O composto, denominado sakuranetina, foi isolado da planta Baccharis retusa DC., da família Asteraceae, a mesma família do girassol (Helianthus annuus) e de diversas outras plantas medicinais. O gênero Baccharis é composto por cerca de 500 espécies, entre elas a bem conhecida carqueja (Baccharis trimera).

"Ficamos surpresos com a variedade de espécies de Baccharis na Serra da Mantiqueira", afirmou Lago. "Coletamos cerca de dez espécies diferentes em Campos do Jordão, entre elas a Baccharis retusa DC.." - a Serra da Mantiqueira é uma a cadeia montanhosa que se estende pelos estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro.

Antiparasitário

A fim de selecionar as plantas que apresentavam potencial atividade biológica, os pesquisadores prepararam extratos bioativos das plantas coletadas e os submeteram a uma sequência de testes em laboratório.

Os resultados indicaram que o extrato da Baccharis retusa DC. demonstrou maior atividade antiparasitária, antimicrobiana e anti-inflamatória em comparação com as outras espécies coletadas.

A análise química revelou que cerca de 50% do extrato bruto da planta diluído em etanol é composto por uma única substância: a sakuranetina. "Isso é muito raro em plantas porque, em geral, elas apresentam uma grande diversidade de compostos," afirmou Lago.

Os resultados indicaram que a sakuranetina apresentou atividade antiparasitária contra Leishmania (L.) amazonensis, Leishmania (V.) braziliensis, Leishmania (L.) major e Leishmania (L.) chagasi. Derivados semissintéticos da sakuranetina usados para comparação não demonstraram a ação antiparasitária.

Toxicidade

A sakuranetina também se mostrou um potencial candidato para o desenvolvimento de um fármaco voltado para o tratamento de asma, de acordo com os pesquisadores, ao apresentar um efeito similar ao da dexametasona, a principal droga usada no tratamento da doença.

"Agora estamos em um ponto crucial, que é avaliar a toxicidade da sakuranetina, porque não adianta termos uma substância que apresenta ação anti-inflamatória tão potente como a droga padrão usada no tratamento de asma se não soubermos em que concentração ela pode ser administrada em animais e humanos," afirmou Lago.


Ver mais notícias sobre os temas:

Plantas Medicinais

Medicamentos Naturais

Alimentação e Nutrição

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.