Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

29/01/2015

Planta brasileira tem composto anti-inflamatório

Com informações da Agência Fapesp
Planta brasileira tem composto anti-inflamatório
Substância encontrada na planta Baccharis retusa DC. tem efeito similar ao da dexametasona, principal droga usada no tratamento de asma.[Imagem: João Henrique Ghilardi Lago]

Família medicinal

Pesquisadores da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) isolaram e caracterizaram um composto bioativo de uma planta encontrada na região da Serra da Mantiqueira que tem propriedades anti-inflamatória, antimicrobiana e antiparasitária.

"Observamos que a atividade anti-inflamatória da sakuranetina é muito similar à da dexametasona, o principal corticoide usado hoje no tratamento de processos alérgicos e inflamatórios graves", conta o professor João Henrique Ghilardi Lago.

O composto, denominado sakuranetina, foi isolado da planta Baccharis retusa DC., da família Asteraceae, a mesma família do girassol (Helianthus annuus) e de diversas outras plantas medicinais. O gênero Baccharis é composto por cerca de 500 espécies, entre elas a bem conhecida carqueja (Baccharis trimera).

"Ficamos surpresos com a variedade de espécies de Baccharis na Serra da Mantiqueira", afirmou Lago. "Coletamos cerca de dez espécies diferentes em Campos do Jordão, entre elas a Baccharis retusa DC.." - a Serra da Mantiqueira é uma a cadeia montanhosa que se estende pelos estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro.

Antiparasitário

A fim de selecionar as plantas que apresentavam potencial atividade biológica, os pesquisadores prepararam extratos bioativos das plantas coletadas e os submeteram a uma sequência de testes em laboratório.

Os resultados indicaram que o extrato da Baccharis retusa DC. demonstrou maior atividade antiparasitária, antimicrobiana e anti-inflamatória em comparação com as outras espécies coletadas.

A análise química revelou que cerca de 50% do extrato bruto da planta diluído em etanol é composto por uma única substância: a sakuranetina. "Isso é muito raro em plantas porque, em geral, elas apresentam uma grande diversidade de compostos," afirmou Lago.

Os resultados indicaram que a sakuranetina apresentou atividade antiparasitária contra Leishmania (L.) amazonensis, Leishmania (V.) braziliensis, Leishmania (L.) major e Leishmania (L.) chagasi. Derivados semissintéticos da sakuranetina usados para comparação não demonstraram a ação antiparasitária.

Toxicidade

A sakuranetina também se mostrou um potencial candidato para o desenvolvimento de um fármaco voltado para o tratamento de asma, de acordo com os pesquisadores, ao apresentar um efeito similar ao da dexametasona, a principal droga usada no tratamento da doença.

"Agora estamos em um ponto crucial, que é avaliar a toxicidade da sakuranetina, porque não adianta termos uma substância que apresenta ação anti-inflamatória tão potente como a droga padrão usada no tratamento de asma se não soubermos em que concentração ela pode ser administrada em animais e humanos," afirmou Lago.


Ver mais notícias sobre os temas:

Plantas Medicinais

Medicamentos Naturais

Alimentação e Nutrição

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Vacina contra dengue pode fazer mais mal que bem em alguns locais

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão

Carne vermelha todo dia faz mal? Especificamente que mal?