Praticar é bom, mas não irá levá-lo à perfeição

Praticar é bom, mas vai levá-lo à perfeição
"Outros fatores importam também mas, mesmo assim, ninguém disse que a prática machuca. Mas tenha cuidado se você está praticando andar na corda bamba."
[Imagem: Cortesia Korean Culture and Information Service]

Será que a prática realmente leva à perfeição?

Parece que não - eventualmente com a notável exceção da prática em mentir.

A prática de uma atividade vai tornar você melhor naquela atividade - mas não vai tornar você capaz de executá-la com perfeição.

Esta é a conclusão de uma análise que revisou 88 estudos anteriores - incluindo mais de 11.000 participantes - que investigaram se a prática poderia prever um desempenho de mestre na música, jogos, esportes e em domínios educacionais e ocupacionais.

"Por que tão poucas pessoas que estão envolvidas em esportes como o golfe, instrumentos musicais como o violino, ou carreiras como direito ou medicina, chegam a um nível de desempenho que os classifique como peritos?" questiona Fred Oswald (Universidade Rice), que liderou uma equipe que incluiu pesquisadores das universidades de Princeton e Michigan, todas nos EUA.

Prática deliberada

Dentro de cada domínio de atividade, o grupo tirou uma média dos resultados relatados em todos os estudos relevantes.

Eles descobriram que a "prática deliberada" - o engajamento em atividades estruturadas criadas especificamente para melhorar o desempenho em um campo específico - explica 26% da variação no desempenho para jogos, 21% para a música, 18% para o esporte, 4% para a educação e menos de 1% para as profissões.

"Talvez a contribuição mais importante do nosso estudo é que, não importa o quão fortemente a prática preveja o desempenho, sempre houve espaço estatístico para outros fatores pessoais preverem a aprendizagem de uma habilidade e seu desempenho com sucesso, incluindo habilidades básicas," disse Oswald.

Muitos estudos já concluíram que as habilidades básicas - o talento - são importantes para prever o desempenho, mas alguns pesquisadores tendem a minimizá-las e considerar a prática como o único fator determinante do desempenho.

Sem exageros

A equipe conclui que, embora a prática não consiga tornar você perfeito, ela torna quase todo mundo melhor.

"Outros fatores importam também mas, mesmo assim, ninguém disse que a prática machuca. Mas tenha cuidado se você está praticando andar na corda bamba," disse Oswald.


Ver mais notícias sobre os temas:

Educação

Trabalho e Emprego

Concentração

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.